Exercício físico diminui o colesterol

Jair Rodrigues Garcia Júnior


As artérias estão sujeitas a pequenas lesões que mobilizam os monócitos (células de defesa), que provocam inflamação localizada e formação de placas de colesterol, gordura e cálcio (aterosclerose), obstruindo parcialmente o fluxo sanguíneo no coração e outros órgãos. A essa condição pode se somar o espessamento e endurecimento da parede arterial (arteriosclerose), a circulação de coágulos sanguíneos que bloqueiam totalmente o fluxo sanguíneo (trombose arterial) e a hipertensão arterial.

Colesterol
É um tipo de gordura importante para funções celulares. Além da presença em alimentos de origem animal (exclusiva) também é produzido pelo fígado. Para que chegue a todas as células continuamente, fica na circulação ligado às lipoproteínas. A quilomicron (Qm) distribui o colesterol e triglicerídeos consumidos nas refeições. A lipoproteína de muito baixa densidade (VLDL) e a lipoproteína de densidade intermediária (IDL) completam a distribuição.

LDL e HDL
A lipoproteína de baixa densidade (LDL) é a mais rica em colesterol e o transporta do fígado para as células continuamente. Quando há lesões na parede das artérias e há monócitos agrupados, o colesterol da LDL vai sendo deixado e se acumulando, produzindo as foam cells e a placa de ateroma. A lipoproteína de alta densidade (HDL) faz o transporte reverso, recolhendo o colesterol e gorduras dos tecidos e conduzindo ao fígado. Pode ser considerada uma “limpadora”, por isso é benéfica.

Porporções
O resultado do exame de colesterol total se refere à soma do colesterol de todas as lipoproteínas. O colesterol total deve ser <190 mg/dL, analisando também sua distribuição nas lipoproteínas. A quantidade na LDL deve ser <130 mg/dL e na HDL deve ser >45 mg/dL. A análise combinada é o melhor indicador de risco ou proteção contra doenças cardiovasculares e cerebrovasculares. Um índice para análise de risco é a razão entre colesterol total e HDL (ex. 200/50=4). Quanto maior o resultado, maior o risco (Mayo Clinic).

Não deixe aumentar
Em termos de alimentação, a dieta deve ser equilibrada com predomínio absoluto de vegetais, incluindo alimentos fontes de gorduras monoinsaturadas (ex. azeite) e poliinsaturadas ômega-3 (ex. castanhas, amêndoas, peixes etc). Diminuir o consumo de gorduras saturadas (animais) e carboidratos de farinhas e açúcar é uma atitude obrigatória.

Diminua
Exercício é um ótimo controlador do colesterol, porque induz aumento da atividade da enzima lipoproteína lipase (LPL) que quebra parte da gordura circulante para ser queimada nos músculos. Adicionalmente, o exercício ativa proteínas (ABCA-1, LXR) que aumentam o transporte reverso do colesterol pela HDL e diminui proteínas (PCSK9 e SREBP2) que atuam no aproveitamento da LDL, resultando em diminuição destas no fígado. A prática regular de exercício pode ser um caminho seguro para diminuir o uso de estatinas. Pratique e converse com seu médico.

 

A prática regular de exercício pode ser um caminho seguro para deixar de lado as estatinas.

 

 

 

 

 

 

Veja também