Fazei tudo o que ele vos disser

Diocese Informa

COLUNA - Diocese Informa

Data 16/01/2022
Horário 05:04

Estamos completando o ciclo das teofanias, manifestações de Jesus, com acontecimentos distantes no tempo, mas próximos em seu significado: a Epifania, com a visita dos Reis Magos, o Batismo de Jesus no Jordão e a manifestação da Trindade e as Bodas de Caná, o Evangelho deste final de semana, quando Jesus manifestou a sua glória e seus discípulos creram nele. É chegada a grande festa das núpcias de Deus com o seu povo. O verdadeiro noivo, Deus conosco, Emanuel, Deus-salva, está presente. Jesus é convidado para a festa das núpcias. É tempo do vinho novo, preparado por Deus mesmo para o seu povo. E Jesus realiza seu primeiro milagre numa festa de casamento. Deus dá valor à alegria, que sabemos ser fruto do Espírito Santo. O tempo é novo e cheio de vida e esperança! Maria também foi convidada. Aqui e aos pés da Cruz, é chamada de “Mulher”. É a nova Eva, que introduz a humanidade, com sua docilidade de discípula, na nova Criação. Maria de fato se revela discípula, aquela que, mãe, segue seu Filho e remete os servos ali presentes a fazer tudo o que Jesus disser, e estes acolhem sua proposta. Dali para frente, muitos outros servos acolherão sua palavra, e esperamos estar entre estes. De fato, em nossa vida, há muitas ocasiões em que falta o vinho da alegria, e sobram-nos alguns potes de água, não potável, mas destinada às purificações, a lavar a sujidade dos corpos. Com eles, pode estar sobrando a desesperança e o desânimo. Trata-se agora de aprender com aquela Mãe de Jesus e nossa a assegurar-nos a força que vem da Palavra do próprio Senhor, uma verdadeira receita de milagre, como tantos gostam de chamar a atitude de Nossa Senhora. O processo eclesial em que nos encontramos, levando-nos à Comunhão e Participação, edificando o que aprendemos a chamar de sinodalidade – caminhar juntos – tem que encontrar seu fundamento na Palavra de Deus acolhida, meditada, partilhada, rezada e praticada. Diante dos desafios que se apresentam à Igreja, é hora de caminhar juntos, não cada pessoa com o próprio ponto de vista, mas na disposição da escuta da Palavra de Deus e em sua prática. Ele pode ainda estar ao nosso lado, como irmão e companheiro. E estará sempre no meio de nós, como garantiu àqueles que estivessem reunidos em seu nome, “sinodalmentente”. (Autor: Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo de Belém do Pará. Fonte: https://www.cnbb.org.br).

MINI SERMÃO:
2º Domingo do Tempo Comum (Jo 2,1-11)

Jesus disse: “não é chegada minha hora”, mas, fez o que Sua Mãe Lhe havia pedido. Fez em consideração a Ela, a quem não julgava oportuno contradizer. Fez desaparecer a simplicidade da água e surgir o sabor do vinho. Jesus é o marido que celebra seu casamento com a humanidade. A verdadeira festa é celebrada no alto da cruz, quando Ele manifesta Seu Amor, dando Sua vida por Sua esposa. Da cruz Jesus fez jorrar água e sangue da sétima talha que é Seu coração. Ele doou a água e o sangue que brotam dando vida eterna. Jesus é o vinho da festa! (Autor: Padre Rafael Moreira Campos).

AGENDA PAROQUIAL: Paróquia Nossa Senhora de Fátima - Presidente Venceslau
Missas:

Sábado às 19h – Igreja Matriz;     
Domingo às 19h – Igreja Matriz

MENSAGEM DO PAPA:
O milagre de Caná não diz respeito só aos esposos. A fé cristã é um dom que recebemos com o Batismo e que nos permite encontrar Deus. A fé atravessa tempos de alegria e de sofrimento, de luz e de obscuridade, como em qualquer experiência de amor autêntico. A narração das bodas de Caná convida-nos a redescobrir que Jesus não se nos apresenta como um juiz pronto para condenar as nossas culpas, nem como um comandante que nos impõe que sigamos cegamente as suas ordens; manifesta-se como Salvador da humanidade, como irmão, como o nosso irmão maior, Filho do Pai: apresenta-se como Aquele que responde às expectativas e promessas de alegria que habitam o coração de cada um de nós. Então podemos questionar-nos: conheço deveras o Senhor assim? Sinto-o próximo de mim, da minha vida? Estou a responder-lhe em sintonia com aquele amor esponsal que Ele manifesta cada dia a todos, a cada ser humano? Trata-se de nos darmos conta de que Jesus nos procura e nos convida a dedicar-lhe espaço no íntimo do nosso coração. E neste caminho de fé com Ele não somos deixados sozinhos: recebemos o dom do Sangue de Cristo. As grandes ânforas de pedra que Jesus manda encher de água para transformar em vinho (v. 7) são sinal da passagem da antiga para a nova aliança: no lugar da água usada para a purificação ritual, recebemos o Sangue de Jesus, derramado de modo sacramental na Eucaristia e de maneira cruenta na Paixão e na Cruz. (Fonte: www.vatican.va/content/francesco/pt/angelus/2017).

Padre Rafael Moreira Campos
Adm. Paroquial Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Pres. Venceslau/SP
"Ouse ser o melhor. Ame!"
Instagram @padrerafaelmoreira
Facebook www.facebook.com/rafaelmoreiracampos
Informações: Cúria Diocesana (18) 3918-5000

Veja também