Força-tarefa dispersa festa clandestina com 250 pessoas na Vila Machadinho

Vigilância Sanitária aplicou dois autos de infração, sendo um para o organizador e outro para o proprietário do imóvel, cada um no valor aproximado de R$ 10 mil

PRUDENTE - DA REDAÇÃO

Data 04/10/2021
Horário 16:16
Foto: Cedida
Evento necessitaria de alvará provisório, com vistoria dos bombeiros e liberação da Vigilância
Evento necessitaria de alvará provisório, com vistoria dos bombeiros e liberação da Vigilância

A força-tarefa para coibir festas clandestinas em Presidente Prudente dispersou, no sábado, um evento na Vila Machadinho, com cobrança de ingresso e aproximadamente 250 pessoas. A Visa (Vigilância Sanitária Municipal) aplicou dois autos de infração, um para o organizador, que se encontrava no local, e outro para o proprietário do imóvel, cada um no valor aproximado de R$ 10 mil.

O supervisor de departamento do órgão, Daniel Gulim, relata que foram cometidas várias infrações. “Os presentes não faziam uso de máscaras e não havia distanciamento”, destaca.

Gulim também explica que as regras do Plano São Paulo continuam vigentes. “Apesar de estar liberada a lotação completa dos estabelecimentos, os clientes precisam permanecer sentados e com um metro de distanciamento entre as mesas, além do fornecimento de álcool em gel e aferição de temperatura”, orienta.

Segundo o fiscal da Sedepp (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico), Luis Carlos Paulon, um evento dessa proporção necessita de alvará provisório, com vistoria do Corpo de Bombeiros e liberação da Vigilância. “Não recebemos solicitação de alvará referente a esse local. No ato da festa, notificamos os organizadores”, enfatiza.

"Vale ressaltar que as fiscalizações da Visa e da Sedepp seguem ativas, com trabalhos de rotina e no enfrentamento à pandemia", comunica a Prefeitura de Prudente.

A força-tarefa é formada pelo Copom (Centro de Operações da Polícia Militar), Visa e Sedepp.

Veja também