Fundação Casa retoma visitas familiares em Irapuru e Bernardes e acaba com revista íntima

Adolescentes em internação podem rever entes a partir deste sábado; escâneres corporais ou manuais passam a ser utilizados

REGIÃO - DA REDAÇÃO

Data 16/07/2021
Horário 15:27
Foto: Arquivo
Adolescentes voltam a receber visita quinzenal de um membro da família
Adolescentes voltam a receber visita quinzenal de um membro da família

A Fundação Casa (Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente) retoma a partir deste sábado as visitas presenciais das famílias para os adolescentes em internação atendidos nos seus centros socioeducativos em todo o Estado de São Paulo. Na segunda-feira, já poderão ser retomadas as atividades presenciais do PAR (Programa de Assistência Religiosa) nos 124 centros. Na região de Presidente Prudente, há unidades em Presidente Bernardes e Irapuru.

O retorno da visita presencial ainda envolve o fim da revista íntima dos familiares como medida de segurança, sendo substituída pelo uso de escâneres corporais ou manuais, além de outros procedimentos que preservam a intimidade e a dignidade humana. Todas as medidas sanitárias e de distanciamento continuam mantidas devido à pandemia da Covid-19.

“Por mais que tenhamos garantido o contato dos adolescentes com os familiares por meio virtual ou telefônico, a presença física reforça os laços afetivos e a participação familiar na execução da medida socioeducativa”, avalia o secretário da Justiça e Cidadania e presidente da Fundação Casa, Fernando José da Costa.

“Com relação ao término da revista íntima, esta atitude demonstra o compromisso do governo de São Paulo no respeito pelos seus cidadãos e na realização de um trabalho com qualidade”, acrescenta o secretário. 

Visita presencial 

Cada adolescente em internação, internação provisória ou internação sanção receberá a visita quinzenal de um membro da família, previamente autorizado pela equipe de referência do jovem no centro socioeducativo. 

Para ingressar no local, o visitante terá a temperatura aferida; responderá a um questionário sobre o seu estado de saúde; e passará pela revista da segurança, com uso de equipamento de escâner corporal ou, na sua ausência, por revista pessoal, que inclui uso de aparelho de detecção de metal.

O visitante também deverá utilizar máscara durante todo o período da visita e, ainda, realizar todos os cuidados com a higiene, como lavar as mãos com frequência e/ou utilizar álcool em gel, além de manter distância de 1 metro.

Familiar com temperatura corporal acima de 37,2 ºC ou que teve contato com pessoa com suspeita ou diagnosticada com Covid-19 há menos de 14 dias não poderá realizar visita. 

A visita presencial terá duração de até uma hora e será agendada com a família conforme a realidade de cada centro socioeducativo.  

Assistência religiosa

As atividades do Programa de Assistência Religiosa terão agendamento conforme a rotina de cada centro socioeducativo e as vertentes religiosas envolvidas. Os parceiros que realizam as atividades deverão passar pelos mesmos procedimentos preventivos e de segurança a que se submetem os familiares nas visitas presenciais. 

Cada encontro terá, no máximo, 15 adolescentes, para preservar o distanciamento social e evitar a propagação da Covid-19. Apenas dois participantes ou colaboradores da denominação poderão realizar a atividade, de acordo com o agendamento e a rotina do centro socioeducativo, sempre limitado ao horário máximo das 20h30. 

Nos CAE (Centros de Atenção Especial), onde se realiza o atendimento inicial de adolescentes recém-apreendidos pela polícia, as atividades religiosas continuam impossibilitadas durante o período de quarentena dos jovens.

Veja também