Garis e margaridas em tempos de pandemia

Segundo a Prudenco (Companhia Prudentina de Desenvolvimento), de 120 profissionais, apenas 77 trabalham nas ruas em Presidente Prudente

PRUDENTE - WEVERSON NASCIMENTO

Data 02/08/2020
Horário 05:04
Weverson Nascimento: Maria: “Não vejo a hora disso tudo passar, gosto do calçadão cheio”    Foto: Weverson Nascimento: Maria: “Não vejo a hora disso tudo passar, gosto do calçadão cheio”   

Com o avanço da pandemia do novo coronavírus, foi necessária adaptação em diversos setores, um deles a varrição pública. Em Presidente Prudente, segundo a Prudenco (Companhia Prudentina de Desenvolvimento), de 120 profissionais, apenas 77 garis e margaridas trabalham nas ruas. Do total, 13 foram afastados e 30 deslocados para outros departamentos que oferecem menor risco de contágio.

Além desses cuidados, a Prudenco informa que disponibiliza máscaras, álcool e orientações para os trabalhadores. “Tomamos medidas e orientações aos funcionários para manterem o distanciamento social, tanto nas áreas comuns, quanto no desenvolvimento do trabalho, inclusive, distanciamos as mesas dos refeitórios e demarcamos espaços onde têm acúmulo de pessoas nas dependências da empresa”.

Um trabalho de segurança pessoal também foi orientado pela companhia, principalmente, quanto a coleta e descarte correto de máscaras encontradas nas ruas. “Em relação à limpeza, a empresa de economia mista destaca a importância do distanciamento, e, na coleta, orienta sempre sobre os cuidados com o recolhimento de máscaras usadas”. A Prudenco também disponibiliza todo EPI [equipamento de proteção individual] necessário.

Cidade da margarida

Recentemente, o padre Fernando Guirado da Diocese de Presidente Prudente, publicou uma prece aos garis e margaridas que mantêm a cidade limpa: "Minha prece, hoje, a todos os garis que mantêm nossa cidade limpa. Homens e mulheres que ganham com dignidade, o pão diário com suor do rosto, para o sustento de suas famílias. Que Jesus os proteja e os guarde contra todos os perigos do trabalho. Mesmo neste momento de pandemia, se arriscam para manter limpa nossas cidades”, abençoa o sacerdote.

No calçadão prudentino, uma dessas margaridas se destaca pelo amor ao trabalho. Atenciosa em todos os detalhes, Maria de Fátima Oliveira Almeida, se dedica há quase 15 anos para o manter o local limpo e aconchegante, como ela mesmo diz. “Eu acordo cedinho e quando chego aqui, já pego o meu carrinho e vou direto limpar o calçadão. Aqui é uma segunda casa e eu sou muito feliz no meu trabalho, com toda certeza”, explica. Inclusive, ao acompanhá-la pelo comércio central, foi possível ver que Maria é carinhosamente chamada pelos transeuntes de tia e já têm vários conhecidos.

Inquieta, preocupada, atenciosa, não deixa passar despercebida uma simples folha de árvore no chão, ou mesmo lixo em locais inapropriados. Nos seus olhos é possível ver que ela cuida como se fosse o seu lar, um lar de tanta gente. “Eu gosto de deixar tudo limpinho, esse é o meu trabalho”, explica.

Mas, antes de ter o calçadão como seu local fixo, a profissional diz que realizava a limpeza em outros bairros, naquele tempo cobrindo férias de outros garis e margaridas. “Quando eu vim para cá tudo mudou. Hoje, minha renda ajuda no sustento da minha família, pois em casa sou eu, meu marido e meus dois filhos. Com meus esforços e os do meu marido, hoje eu tenho minha casa própria”.

No dia 22 de agosto ela completará 15 anos de atividade, e diz feliz que não pretende parar por agora. “Eu gosto muito do meu trabalho, foi aqui, limpando as ruas de Prudente, que eu consegui tudo que eu tenho hoje. Eu não vejo a hora disso tudo passar, porque eu gosto do calçadão cheio de pessoas”, disse Maria.

Para produção desta matéria, a reportagem levou em conta todas as medidas sanitárias visando à saúde pessoal e coletiva.

 

“Eu gosto muito do meu trabalho, foi aqui, limpando as ruas de Prudente, que eu consegui tudo que eu tenho hoje. Eu não vejo a hora disso tudo passar, porque eu gosto do calçadão cheio de pessoas”

Maria de Fátima Oliveira Almeida,

margarida

 

 

 

 

Veja também