Gestantes do Bolsa Família podem receber repelentes

Balanço realizado em fevereiro mostra que em PP, 962 grávidas tiveram o benefício; destas, 154 são atendidas pelo programa

PRUDENTE - ROBERTO KAWASAKI

Data 28/03/2018
Horário 09:27
José Reis | Kátia:
José Reis | Kátia:

A gestação é uma fase na vida da mulher que requer atenção e cuidados para que não haja complicações de saúde na mãe e no bebê. Devido aos constantes casos de dengue, zika vírus e chikungunya que são transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti, as gestantes que participam do programa Bolsa Família têm o direito a receber repelentes gratuitos para a proteção da pele. Em Presidente Prudente, um balanço parcial realizado em fevereiro mostra que 962 gestantes recebem o produto. Destas, 154 são do programa Bolsa Família e 808 são mulheres que realizam o pré-natal em unidades básicas de saúde.

De acordo com a farmacêutica do suprimento da saúde, Kátia Regina Sobiris, em maio de 2017, a Secretaria Estadual de Saúde fez uma deliberação “de que se houvesse a disponibilidade, mesmo que a gestante não fosse do programa Bolsa Família, que o município poderia dispersar de acordo com o caso”. A partir desta situação, a farmacêutica explica que as beneficiadas continuam sendo as mães do programa que recebem dois produtos e, se houver disponibilidade, será repassado um produto para cada mãe que realiza o pré-natal nas 33 unidades públicas de saúde da cidade.

Ela conta que segundo a nota técnica do Decreto 8.716/16, que institui o programa, serão feitas sete remessas às cidades, mas não mensais. Em fevereiro, Prudente recebeu a última remessa com 5.198 unidades de repelentes. “Tem mês que vem e mês que não, e as unidades já estão abastecidas para atender as mulheres. Não sabemos quando vem o próximo lote”, esclarece. Apesar de a distribuição ser gratuita, Kátia afirma que “nem todas as mães entendem a importância da proteção e não buscam o repelente”.

 

Baixa procura

A secretária de Assistência Social, Luzia Fabiana Sales Macedo, esclarece que não recebem diretamente os repelentes, pois a tarefa foi encaminhada à SMS (Secretaria Municipal da Saúde) devido à dificuldade em encontrar as mães para distribuir os produtos.

Ela conta que o primeiro lote de repelentes chegou à SAS (Secretaria de Assistência Social) no ano passado e que as gestantes cadastradas no programa receberam uma carta informativa sobre o benefício. De acordo com Luiza, mesmo com o informativo do produto, das 300 grávidas da época, apenas 40 compareceram para buscar os produtos. “Nós repassamos a tarefa à Saúde, pois eles têm contato mais direto com elas”, explica.

 

SAIBA MAIS

De acordo com o Ministério da Saúde, no ano passado quase 15,9 milhões de frascos de repelentes adquiridos pelo governo federal já foram entregues a grávidas. Contudo, até o dia 19 de fevereiro, 484 mil gestantes estavam inscritas para receberem o benefício e da quantidade de frascos adquiridos, 92,4% já haviam sido entregues. Para as gestantes cadastradas no programa Bolsa Família que tenham interesse em solicitar o produto, é necessário procurar um posto de saúde ou o Cras (Centro de Referência de Assistência Social) da sua cidade. Há uma retirada limite de dois frascos por mês.

Veja também