Humor Sem Dor (Máximas e Mínimas)

Sandro Villar

O Espadachim, um cronista do tempo do compacto simples e do compacto duplo (jovem que não sabe que diabo é isso deve perguntar pro avô e, se for o caso, até pro bisavô)

CRÔNICA - Sandro Villar

Data 04/10/2020
Horário 05:31

Quem propõe a venda da Amazônia aos gringos deveria primeiro vender a mãe.

Quem semeia vento colhe energia eólica.

O governo aumentou os preços da gasolina e do Vin Diesel.

Nunca ia ao cinema, pois sempre lhe passava um filme pela cabeça.

Filme da semana no Cine Brasil: "O Inconformado", estrelando Silas Malafaia e grande elenco cafona.

Caiu em contradição, mas logo se levantou.

Tomarei medidas drásticas contra meus detratores e, para essa missão, vou contratar técnicos do Ipem.

Se o esgoto a céu aberto já é terrível, imaginem o esgoto a inferno aberto.

Era tão viciado em maconha que fumava até baseado em fatos reais.

Era tão esperto que vendia pente pra careca.

Era magro, mas fazia regime por causa do peso na consciência.

Nova dupla caipira na praça: Fome e Vontade de Comer.

Se o aquecimento global continuar nesse ritmo, a Luiza Trajano vai acabar vendendo geladeira pra esquimó.

Não tenho nada contra o serviço militar. Tanto é que da próxima vez que for servir ao Exército vou me alistar como general.

Classificado: Vende-se tesoura. Tratar com Dalila em Jerusalém.

Escola de Samba em Israel: Mossad Independente do Rabino Miguel.

Previsão do tempo do pastor: "Vem aí templo bom".

Não quero mudar o mundo até porque a Terra está muito bem situada entre Marte e Vênus.

Era um decorador tão eficiente que instalava até cortina de fumaça. 

Tal pai, tais filhos: 01, 02 e 03.

Não desista, mesmo depois de colocar tudo na ponta do lápis.

Aliás, a ponta do lápis é o lugar mais espaçoso do mundo: ali cabe tudo.

Água mole em pedra dura tanto bate até que fura, se tiver ácido.

Quem tem sede de vingança deve beber água benta.

Classificado: precisa-se de poliglotas. Tratar na Torre de Babel.   

O Tchutchuca estaria em processo de fritura ou na corda bamba? É que ele não soube repaginar e adequar a CPMF a estes tempos bestiais.

Veja também