Jiujiteiros de Prudente e região se destacam em Mundial

Além dos quimonos, atletas trouxeram em suas bagagens ouros, pratas e bronzes conquistados no campeonato em São Paulo

Esportes - OSLAINE SILVA

Data 29/11/2021
Horário 23:32
Foto: Cedida
Amauri subiu no mais alto do pódio duas vezes: ouro na categoria e no absoluto
Amauri subiu no mais alto do pódio duas vezes: ouro na categoria e no absoluto

Mais medalhas vieram para Presidente Prudente e região do Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu Esportivo, que ocorreu no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo do dia 25 a 28. Além dos quimonos, atletas trouxeram na bagagem ouros, pratas e bronzes. 
Amauri Cesar de Barros Moraes, 46 anos, faixa roxa, o pai dos gêmeos Barros, da equipe Almeida JJ conquistou não apenas uma, mas duas medalhas de ouro na categoria e absoluto. Quem também garantiu a sua douradinha foi Maria Eduarda Souza Sana, a Duda, 16 anos, Juvenil até 60 kg. Já os filhotes voltaram cada um com sua prata: Yuri foi vice-campeão Infantil B até 56 kg (quilos) e Ygor até 51 kg. Os prudentinos contaram com o apoio da Semepp (Secretaria Municipal de Esportes) e do professor Paulo Costa Junior, o PC, que esteve presente no mundial.
Lucas Porto Rodrigues, 17 anos, lutou no sábado e conquistou a medalha de bronze no absoluto. Já na categoria Juvenil Azul Pesadíssimo, desta vez não deu para o lutador, perdendo na quartas de final. E dois dos seis atletas da Navarro / Nilson Nunes bjj, Maracaí, também garantiram seus bronzes, Thiago Dias, 16 anos, na categoria, Juvenil meio pesado azul, e perdeu na primeira luta do absoluto. E Gabrielle Machado do Amaral, 14, categoria Infanto Juvenil B, meio pesado, laranja e verde.

Após 4 anos sem competir

De Rancharia, da Academia Kings, após quatro anos longe das competições, Danilo Diniz Oliveira Silveira, 42 anos, quase conseguiu o primeiro lugar. Foi por pouco, mas segundo ele, a prata na Categoria Master3 faixa marrom - peso médio, veio com gostinho mais do que especial.
“Subir ao pódio depois de vários anos sem competir e depois de tantos treinando é muita alegria, realização, fechamento de um ciclo e a abertura de outro onde começo a aprender e desenvolver a arte novamente!”, expõe o lutador de prata!
Danilo treina jiu-jitsu desde 1997. Ele conta que sua iniciação nas artes marciais foi por influência do seu pai, Ary Diniz da Silveira. “Aos 11 anos, em 1991, comecei no judô, e em 97 após assistir aos primeiros vídeos do Vale Tudo conheci o jiu-jitsu e comecei a treinar. Artes primas [risos], que até hoje me ajudam na parte física e mental! Tantos anos treinando e ganhar essa medalha de prata... é uma sensação de muita alegria e realização”, destaca o atleta mencionando que agora o próximo compromisso é no próximo domingo se confraternizar com os atletas das academias Kings, no Palácio do Judô/Ginásio de Esportes no fechamento do ano.

Fotos: Cedidas

Duda também conquistou sua medalha de ouro


Após quatro anos sem competir, Danilo vibra com prata no Mundial


Gêmeos Barros foram vice-campeões em suas categorias


Lucas Porto Rodrigues e atletas Equipe Navarro / Nilson Nunes bjj
 

Veja também