Jornal Brasileiro

Sandro Villar

O Espadachim, um cronista a favor do álcool e contra o alcoolismo

CRÔNICA - Sandro Villar

Data 28/08/2020
Horário 05:40

Uma semana triste. Morreu o produtor musical Arnaldo Saccomani, vítima de diabetes e de insuficiência renal. Além de produtor musical, incluindo a produção de discos de pagodeiros, Saccomani também notabilizou-se como jurado de programas na televisão, como o do Ratinho. A meu ver, ótimo jurado. Entendia do riscado.
Ele também era compositor e, assim de relance, lembro-me da canção "Escuta Meu Amor", que ele compôs em parceria, se não me engano, com o cantor Ronnie Von, ex-príncipe do iê-iê-iê. O cantor gravou muito bem esta música. Se vocês ainda não ouviram, vale a pena conferir. Saccomani partiu cedo. Tinha 71 anos.
E o Bolsonaro está uma arara com o Guedes e já estaria propenso a "tostar" o ministro da Economia. Depois, segundo as más línguas, o Mito Messias iniciaria a fritura do ministro. Que óleo ele vai usar na fritura? Azeite de dendê não é até porque esse tipo de óleo está em falta no mercado.
E a Flordelis, hein? Pois é, o Rio de Janeiro elegeu o Brizola duas vezes e de uns tempos para cá elege cada coisa que vou te contar. A deputada (?) não está envolvida até o pescoço com a morte do pastor Anderson, seu marido. Diria que Flordelis está envolvida até o tórax.
Tudo isso é muito triste e mais triste ainda é este tempo assombroso de pandemia. Donos de bares e restaurantes de Prudente, conforme li no O Imparcial, estão no limite. Eles têm razão. Alguma providência precisa ser tomada para evitar a falência. São vários meses sem faturamento.
Evidente que a aglomeração é um risco sério de contágio pelo novo coronavírus e, para evitar "um fungando no cangote do outro", que se mantenha o indispensável distanciamento, com álcool gel e máscara, que, como é óbvio, só deve ser tirada da fuça na hora de "tirar o abdômen da miséria". Jeito tem para quase tudo. 
Quanto ao número de fregueses, se o restaurante, por exemplo, pode receber, digamos, 100 pessoas, que passe a atender a metade. Metade da capacidade já está de bom tamanho e o mesmo, creio, vale também para as salas de cinema. 
Se necessário, desinfeta a sala até com creolina ou sumo de arruda. Acho que o coronavírus não aguenta o cheiro da arruda e muito menos o da creolina. Por falar nisso, alguém aí na plateia sabe que diabo é creolina?

P.S.: Na crônica sobre o Trini Lopez o papai aqui se esqueceu de citar que o fabuloso Hélio Ribeiro também trabalhou nas Rádios Piratininga, Jovem Pan e Capital.

DROPS 

Em terra de cego os charlatões deitam e rolam.

Ana Paula Arósio reapareceu. Tá lindona e ainda dá meia-sola.

Quem cospe no prato que comeu ou é ingrato ou não sabe o que é etiqueta.

Estamos todos no mesmo disco voador? Sei lá! Perguntem ao comandante da nave.
 

Veja também