Leonardo Cerávolo traz benefícios para Prudente

PRUDENTE - OSLAINE SILVA

Data 14/09/2017
Horário 14:04

Em 1938, Domingos Leonardo Cerávolo assume a Prefeitura de Presidente Prudente, onde permanece por oito anos. Por ser amigo do governador Ademar de Barros, com ele vem uma série de benefícios para a cidade, como a criação do aeroporto (Ademar de Barros), a reforma da estação ferroviária, a Praça da Bandeira, a delegacia, o Bosque Municipal, a primeira escola padrão Adolpho Arruda Mello (1938), depois, em 1941, é construído o IE (Instituto Educacional) Fernando Costa, escola secundária que era uma grande cobrança da população, uma vez que só tinha o Colégio São Paulo e Cristo Rei, que eram escolas particulares e nem todos tinham acesso.

É aí que Prudente descobre sua segunda vocação, trazendo estudantes da região inteira, e se transforma em uma capital regional de educação, como é até hoje, sustentando boa parte da cidade com universitários do Brasil inteiro. “Chegam as escolas técnicas, como o Senai [Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial], a escola técnica da Prefeitura, que depois desapareceu, o Colégio Agrícola, que está sobrevivendo até hoje, agora com o Centro Paula Souza, e as instituições de ensino superior, que vem nos anos 50”, recorda o historiador Ronaldo Macedo. Primeiro a Fafi (Faculdade de Filosofia Ciências e Letras), hoje FCT/Unesp (Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista), a Unoeste (Universidade do Oeste Paulista), a Toledo Prudente Centro Universitário, a Fapepe/Uniesp (Faculdade de Presidente Prudente); as Fatecs (Faculdades de Tecnologia do Estado de São Paulo), as não presenciais. E hoje Prudente é referência na educação.

Veja também