Liane é 1ª indústria a fechar contrato de gás canalizado em Prudente

Com início do fornecimento previsto para 2022, meta da empresa é atingir 40% de sua matriz em bioenergia por meio do projeto "Cidades Sustentáveis"

REGIÃO - DA REDAÇÃO

Data 28/09/2021
Horário 16:15
Foto: Divulgação
Liane traçou meta de zerar emissão de poluentes até 2025
Liane traçou meta de zerar emissão de poluentes até 2025

A Indústrias Alimentícias Liane Ltda., localizada em Presidente Prudente, é a primeira a fechar contrato de fornecimento de gás canalizado com a GasBrasiliano, viabilizado por meio do projeto "Cidades Sustentáveis".

Com a iniciativa, que visa aumentar o uso de energias renováveis na indústria, a Liane prevê redução de custos mensais em torno de 40%. “A Liane traçou uma meta de zerar a emissão de poluentes até 2025. Hoje, a indústria utiliza como fonte de energia o GLP [gás liquefeito de petróleo] para os fornos de biscoitos, óleo BPF [baixo ponto de fluidez] para as caldeiras, energia fotovoltaica no setor administrativo e energia elétrica em alguns setores. Sua matriz energética atual está dividida em 80% energia elétrica convencional, 15% GLP e 5% óleo BPF. Com a chegada da GasBrasiliano, a meta é atingir 40% da matriz em bioenergia”, explica Maurício Calvo, diretor industrial da Liane.

Para Alex Gasparetto, diretor-presidente da GasBrasiliano, o fechamento deste contrato mostra a viabilidade do projeto e abre as portas para a adesão de novos clientes, que já estão em prospecção. “Estamos muito felizes com o fechamento do contrato com a Liane, que é o início da concretização do projeto que viabilizará a chegada do gás a novos municípios que se encontram distantes do gasoduto de transporte. A região oeste é a que concentra a maior quantidade de usinas sucroalcooleiras de São Paulo e, por meio de uma nova fonte de suprimento, renovável, este modelo poderá inclusive ser replicado a outras regiões, contribuindo com o aumento da participação do gás na matriz energética”, afirma Alex.

Cidades Sustentáveis

A GasBrasiliano iniciou em agosto de 2021 as obras de construção da rede do projeto “Cidades Sustentáveis”. Lançado em abril de 2019 na 25ª Agrishow (Feira Internacional de Tecnologia Agrícola), realizada em Ribeirão Preto (SP), o projeto colocará os municípios de Narandiba, Pirapozinho e Presidente Prudente em destaque nacional no que diz respeito ao abastecimento com o biometano gerado a partir do processamento de resíduos da cana-de-açúcar.

A GasBrasiliano e a Usina Cocal são parceiras na iniciativa, sendo a primeira responsável pela construção de gasodutos para a distribuição do biometano na região e a segunda pela produção do biometano, que pode chegar até 25 mil m³/dia. O projeto conta ainda com a parceria da Sima (Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo).

O investimento total estimado é R$ 180 milhões, sendo R$ 30 milhões da GasBrasiliano para construção da rede de distribuição e R$ 150 milhões da Cocal na construção da planta para a produção de biometano, que já está concluída. A previsão de término das obras da rede de distribuição e início de fornecimento do gás canalizado para os clientes é julho de 2022.

O projeto, cuja ótica operacional e econômica poderá ser replicada para diversos outros municípios e regiões administrativas do noroeste paulista, agregado ao grande potencial de produção de biometano do setor sucroenergético, colabora com o desenvolvimento regional e coloca a região na vitrine mundial desta fonte energética sustentável.

Macarrão e biscoitos

Fundada há mais de 50 anos, a empresa Liane se tornou uma das principais indústrias do setor alimentício brasileiro. Hoje, a empresa traz em sua linha de produtos biscoitos de sabores diversos, massas tradicionais de macarrão do tipo secas e também massas de macarrão pré-cozido, tipo instantâneo.

A indústria possui um regime de funcionamento variado em suas linhas de produção, sendo que algumas operam em três turnos diários com uma produção total de aproximadamente 29,4 mil toneladas de produtos comercializados pela empresa, sendo que os biscoitos processados nas linhas que utilizam o gás como combustível em seus fornos correspondem a cerca de pouco mais de 9% deste montante e o macarrão produzido representa cerca de 61% deste total, sendo o restante da produção composto por outros produtos.

Veja também