Lincoln Gakiya é homenageado pela atuação no Gaeco

Promotor de Justiça do Ministério Público foi responsável pelo pedido de transferência de 22 líderes da facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios paulistas

PRUDENTE - ROBERTO KAWASAKI

Data 10/12/2019
Horário 11:27
Arquivo - Gakiya foi responsável pelo pedido de transferência de presos da facção Foto: Arquivo - Gakiya foi responsável pelo pedido de transferência de presos da facção

Na segunda-feira, o promotor de Justiça, Lincoln Gakiya, do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), foi homenageado na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Durante a sessão solene, recebeu o “Colar de Honra ao Mérito Legislativo” pelo trabalho desempenhado para manter a ordem pública no Estado e região de Presidente Prudente.

Na oportunidade, o representante do Ministério Público, Mário Luiz Sarrubbo, enalteceu a homenagem e lembrou o reconhecimento do órgão que, em conjunto com as polícias Civil, Militar e Federal, têm mantido o oeste paulista como “a região mais segura do Estado de São Paulo”.

Desde 2008, Lincoln Gakyia atua na repressão ao crime organizado. Desde então, o nome dele foi manchete em diversos noticiários nacionais após receber ameaças de morte em cartas apreendidas em penitenciárias. Diante disso, teve a segurança familiar reforçada e vive cercado de policiais fortemente armados.

No começo do ano, foi o responsável pelo pedido de transferência de 22 líderes da facção criminosa que atua dentro e fora do Estado de São Paulo, a presídios federais. “Tenho minha liberdade silenciada, não tenho mais vida social para jantar fora, por exemplo, porque minha rotina é 24 horas rodeada por policiais fortemente armados”, afirmou em entrevista a este diário.

Mesmo após as transferências, o trabalho não terminou. De acordo com Gakiya, o Gaeco atua em conjunto com a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) e polícias em diversas operações, a fim de garantir a segurança pública.

Veja também