Lucas Porto mantém 1º lugar em ranking do CIJJ e foca em 2021

Lutador recebeu dois certificados de destaque do ano, do Circuito Interior de Jiu-Jitsu, nas categorias XD - Absoluto Juvenil Masculino Azul e G5- Juvenil Masculino Azul - acima de 91 kg

Esportes - OSLAINE SILVA

Data 03/01/2021
Horário 08:00
Para Lucas, cada conquista aumenta o desejo de superação
Para Lucas, cada conquista aumenta o desejo de superação

“É revigorante, mesmo nesse ano difícil com essa pandemia, com poucas competições, me mantive em primeiro lugar no ranking!”, exclama o atleta machadense, Lucas Porto Rodrigues, que ganhou no fim de 2020, a certificação em primeiro lugar em duas categorias: XD - Absoluto Juvenil Masculino Azul e G5 - Juvenil Masculino Azul - acima de 91 kg (quilos), do CIJJ (Circuito Interior de Jiu-Jitsu)
A menos de um mês, o jovem lutador da Academia Heal-Fit conquistou duas medalhas de ouro em Bauru (SP), primeira competição oficial depois da flexibilização do Plano São Paulo.

“QUANDO ELE ESTÁ COMPETINDO, ACHO QUE SINTO A MESMA ADRENALINA DELE. QUANDO ESTÁ LUTANDO, PARECE QUE ESTOU PARTICIPANDO JUNTO COM ELE, ÀS VEZES FICO ATÉ MAIS NERVOSO QUE ELE [RISOS]”
Ailton Rodrigues

Lucas, que mesmo na quarentena por conta da Covid-19, não parou de treinar, diz que agora é aproveitar as comemorações e descansar para em 2021 focar mais nos campeonatos da CBJJE (Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Esportivo), a qual realiza as maiores competições do país. “Não deixei de treinar mesmo com as academias fechadas porque sempre busquei a minha evolução pessoal. Agora vou me dar esse descanso merecido [risos], que é importante para que eu tenha os melhores resultados quando retornar com tudo, ainda neste mês de janeiro. Cada conquista aumenta o desejo de superação”, destaca o atleta de Álvares Machado.
Ailton Rodrigues, 48 anos, pai de Lucas, que o acompanha em todas as competições desde que era só um garotinho, diz se sentir muito orgulhoso do filho e atleta que tem. “Quando ele está competindo, acho que sinto a mesma adrenalina dele. Quando está lutando, parece que estou participando junto com ele, às vezes fico até mais nervoso que ele [risos]”, diz o pai de Lucas.

Orgulho do filho ser um exemplo

A mãe, Celia Paulino Porto Rodrigues, 42 anos, frisa ser gratificante ver as conquistas de Lucas por seu próprio suor, traçando uma trajetória com muito esforço, dedicação e superando todos os obstáculos. “É um misto de emoção por poder participar de tudo e alegria de ver outras crianças se motivando através dele... Na escola, na igreja, muitas crianças seguem a carreira por causa dele. Nos orgulhamos muito de nosso filho. E sofremos juntos também. Porque, olha, é uma agonia quando ele vai lutar. Eu prefiro nem ver [risos]”, ressalta. 
E pontua ainda a questão do patrocínio, “porque tem muitas crianças que precisam de incentivo para estar bem longe de tanta violência, do mundo das drogas. Que o Lucas possa ser espelho para estas crianças”, deseja a mãe do atleta e dos gêmeos Gabriel e Daniel, que estão seguindo os mesmos passos do irmão mais velho.

Foto: Cedidas


Certificados concedidos a Lucas pelo Circuito Interior de Jiu-Jitsu


Ano passado, antes dessa pandemia, atleta teve toda a família no pódio

Veja também