Missa: Amar até o fim!

Diocese Informa

COLUNA - Diocese Informa

Data 13/06/2021
Horário 05:20

Em toda Santa Missa acontece: das migalhas humanas Deus nos conduz a um Banquete de ricas iguarias, servido pelo próprio Jesus. Nunca soube de alguém que recusou um banquete. Recusarás este? Ao redor dessa refeição edificamos a Igreja. Jesus nos fita com Seu olhar e nos ama. É o Banquete do Amor. Desde o Antigo Testamento nos foi dito em profecia: “Cada um tome um cordeiro por família. O cordeiro deverá ser sem defeito, macho, e deverá ser guardado preso. Então toda a comunidade o imolará. Tomareis um pouco do seu sangue e untareis os marcos e a travessa da porta. Comereis a carne nessa mesma noite com pães ázimos e ervas amargas. Ao ver o sangue não vos atingirá a praga exterminadora. Este dia será para vós uma festa memorável em honra do Senhor” (Cf. Ex 12,1-8.11-14). A Santa Missa é a festa das festas. É a Graça das Graças. Nela tudo se atualiza: Jesus é O Cordeiro sem defeito e que foi preso por mãos humanas; foi imolado no alto da cruz; deu o Seu sangue e Sua carne para nossa salvação, feitos Eucaristia no pão sem fermento que comungamos; para que o azedume da erva do pecado não nos extermine. Um Deus que não Se contentando em Se fazer “gente”, Se fez alimento triturado e pisado por nós. Missa é celebração do Cordeiro Imolado. É atualizar as palavras de São Paulo: “Na noite em que foi entregue, o Senhor Jesus tomou o pão e, depois de dar graças, partiu-o e disse: ‘Isto é o meu corpo que é dado por vós. Fazei isto em minha memória’. Tomou também o cálice e disse: ‘Este cálice é a nova aliança, em meu sangue. Todas as vezes que dele beberdes, fazei isto em minha memória’” (Cf. 1Cor 11,23-26). Fazer memória é guardar o que vale a pena. É não perder o que é digno de ser salvo no coração. Faz memória quem ama. Somos um povo de boa memória porque amamos e fazemos cumprir os gestos de Jesus na atualização sacramental. Na Santa Missa acontece a mesma ação da última ceia. “Jesus sabia que tinha chegado a sua hora de passar deste mundo para o Pai; tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim. [...] Derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos. [...] Dei-vos o exemplo, para que façais a mesma coisa que eu fiz” (Cf. Jo 13,1-15). Um Deus que não nos amou pela metade, mas amou a todos até o fim. Até o fim de nossas vidas Ele foi para nos trazer de volta. Até o fim de nossas piores escolhas para nos dar a graça da conversão. Foi até o fim estabelecido para Ele: crucifixão. Foi até o que era dito como fim, para mostrar que o fim é a vitória do Amor. O fim da cruz era o início da vida. Tendo tudo em Suas mãos, desejou Se fazer nada. Por isso, levanta-Se da mesa e Se coloca na posição de escravo. Se inclina e lava os pés encardidos de homens traidores. O exemplo está dado. Missa é isso: testemunhar Deus Se dando em alimento, além de vermos Ele se inclinar e nos amar. Diante do Senhor descobrimos que ninguém lhe passa despercebido, e que toda a nossa vida deve ser um prolongamento da nossa Missa celebrada. Quem deseja amar necessariamente precisa aprender a se reclinar aos irmãos. "Não é para ficar numa âmbula de ouro, que Jesus desce cada dia do céu, mas para encontrar um outro céu, o da nossa alma, onde Ele encontra a sua morada” (Santa Terezinha). Ame até o fim! (Autor: Padre Rafael Moreira Campos).

 

MINI SERMÃO:

11º Domingo do Tempo Comum (Mc 4,26-34)

Assim o Reino de Deus começa: pequena semente do Amor lançada na terra. Plantada nos corações ela ganhou raiz e se alastrou. Gerou uma árvore frondosa e muitos desfrutam da sua sombra. Muitos descansam no Evangelho do Amor anunciado. Breves palavras dizem mais do que todos os sermões possíveis. Não há nada tão simples e gigantesco do que o Amor. A árvore do Reino cresceu pelo Amor e desenvolveu grandes ramos. Essa semente pode crescer na caridade, mas pode permanecer semente por causa da indiferença. Não somos nós quem entramos no Reino, mas o Reino que entra em nós. (Autor: Padre Rafael Moreira Campos).

AGENDA PAROQUIAL: Paróquia São Francisco de Paula – Narandiba.

Missas:

Sábado às 19h30min – Igreja Matriz,

Domingo às 10h – Igreja Matriz.

 

MENSAGEM DO PAPA:

Do mesmo modo como a semente humilde se desenvolveu na terra, também a Palavra age com o poder de Deus no coração de quem a ouve. Deus confiou a sua Palavra à nossa terra, ou seja, a cada um de nós com a nossa humanidade concreta. [...] Esta Palavra, se for aceite, certamente dará os seus frutos, porque o próprio Deus a faz germinar e maturar através de veredas que nem sempre podemos verificar [...]. O seu amor fará germinar e crescer todas as sementes de bem presentes na terra. [...] A semente do bem e da paz germina e desenvolve-se, porque o amor misericordioso de Deus a faz amadurecer. (Fonte: www.vatican.va/content/francesco/pt/angelus/2015)

 

 

 

 

Veja também