Mudanças, um novo código!

OPINIÃO - Marcos Alves Borba

Data 01/07/2020
Horário 04:11

Já se passaram praticamente mais de três meses, e pelo visto não temos nenhuma previsão de como as coisas irão ficar daqui pra frente. Entra dia, sai dia e fica a sensação de que tudo continua sem nenhuma perspectiva de que algo possa nos acalmar, onde ficamos a mercê e na crença de que somente forças ocultas possam nos elucidar de novos caminhos. Continuamos vendo e sentindo as coisas ficarem estranhamente fora de órbita, o que faz com que as mudanças estejam lentas e com previsões um pouco mais obscuras. Assim, e de forma muito lúcida, precisamos nos reinventar, caso o nosso entendimento nos permita que essa necessidade seja urgentemente de crescimento e de desenvolvimento.

Atenção! Fecha tudo! Agora não! Abre novamente! Não é agora, pois parece que as coisas estão dando certo! Calma, vamos esperar mais alguns dias! Acho que na semana que vem será possível! Mas pelo visto parece que não será agora, pois as pessoas ainda não entraram no sistema de cooperação e participação efetiva do que necessariamente precisa ser feito. Ou quem sabe, pois talvez não tenhamos essa sensibilidade da percepção de que muitos precisam fazer coisas que precisam ser feitas, isto é, sem drama da situação atual muita gente se expõe devido sua extrema necessidade de sobrevivência.

Com as mudanças impulsionadas pela ruptura de uma gigantesca pandemia de tempos modernos, não poderemos ser tão incapazes de aceitar que vendo hoje as empresas, as escolas, o mercado em geral e os nossos relacionamentos sendo criados novos códigos de lucidez pela busca, e que muitos ainda continuem a serem movidos pela insensatez de que nada muda se não mudarem.

Esse tão esperado e já demonstrado novo mundo pelo visto continua distante de muita gente, o que dá a entender que muitos não acreditam e nem esperam que essas mudanças possam lhes impulsionar a recomeçar uma nova fase de vida. Não podemos nos iludir e dizer que tudo isso não será passageiro, e sem dúvidas que será, mas de maneira serena e otimista, cabendo-nos o discernimento de que não precisamos ficar à espera dessa tão assustadora mudança. Pensar diferente, mas agir com sabedoria!

Fiquemos atentos, e sempre na somatória dos fatos que naturalmente irão acontecer nos próximos dias ou até meses. Nossos impulsos devem até tentar, mas não poderemos ser tão ingênuos de acreditar que tudo continuará como está.

Veja também