Mutirão em hospital garante prevenção ao câncer de pele

HR supera número de 250 pessoas atendidas na campanha do ano passado; até às 13h15, 300 pacientes já tinham sido examinados pela equipe, sobretudo com retirada de tumores e biópsia

PRUDENTE - OSLAINE SILVA

Data 27/11/2016
Horário 11:03


Antecipando o mês de combate ao câncer de pele, conhecido como o "Dezembro Laranja", professores, médicos residentes e acadêmicos da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista) se mobilizaram, ontem, no AME (Ambulatório Médico de Especialidades) do Hospital Regional (HR) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo, de Presidente Prudente, das 9h às 15h, no mutirão do Dia C, fazendo exames preventivos e encaminhando pessoas com lesões suspeitas para tratamento da doença. Iniciativa nacional da Sociedade Brasileira de Dermatologia tem como objetivo da ação é prestar atendimentos, diagnosticar e tratar esse tipo de câncer, bastante comum principalmente devido à exposição excedente ao sol. Neste ano a novidade é que algumas intervenções, como biópsia e a retirada de tumores, foram feitas de imediato.

Jornal O Imparcial Mutirão ocorreu ontem, das 9h às 15h, no Hospital Regional

"Como diz o ditado: é melhor prevenir do que remediar!", assim exclamou a prestadora de serviços gerais, Neusa Expedita Pereira Silva, 56 anos, que pela terceira vez aproveita a ação de prevenção do hospital. Pela primeira vez, o aposentado Juvenal Caetano Silva, 60 anos, também participou do mutirão, após o convite de um amigo.

Assim como o mecânico, Claudomiro Panha, 55 anos, que ficou sabendo da ação pela televisão. "É tão difícil conseguir um dermatologista pelos postinhos. Uma oportunidade dessa a gente não pode perder. É bem rápido e eficiente o atendimento", destacou o mecânico.

De acordo com o médico dermatologista Murilo de Oliveira Lima Carapeba, 36 anos, os mutirões fortalecem a prevenção, disseminam informações sobre o assunto e contribuem para a redução dos casos da doença. "Reforçamos a importância do uso do protetor solar durante todos os dias do ano, independente da estação, mesmo no inverno é preciso aplicá-lo pelo menos duas vezes ao dia. Evitar a exposição ao sol entre 10h e 16h, usar chapéu, roupas de manga longa... A incidência do câncer de pele, geralmente, é mais comum em pessoas acima dos 50 anos, que trabalharam por muito tempo sob os raios solares e com casos na família. É bom estar sempre atento a qualquer manchinha diferente", aconselha o dermatologista.

 

Veja também