Notícias são animadoras, mas cuidados contra a Covid ainda são essenciais

EDITORIAL -

Data 14/08/2021
Horário 04:15

Após tantas páginas, há muito tempo, mostrando famílias em luto, vidas perdidas e sonhos interrompidos, hospitais sem leitos de UTI disponíveis, falta de insumos e medicamentos, entre tantas outras tristes histórias, encerramos a semana com boas notícias! 
Não que a Covid-19 não exista mais, nem continue fazendo vítimas. Mas o cenário é outro, se comparado a meses atrás.
Na edição de ontem, trouxemos a emocionante história de uma moradora de Assis (SP), que viajou até Presidente Prudente para encontrar o filho recém-nascido pela primeira vez. Cristiane Colombo Bonatto, 29 anos, passou por um parto de emergência enquanto estava intubada em decorrência da Covid-19. Ela teve seu bebê com apenas 26 semanas de gestação. Prematuro, pesando 900 gramas, Heitor teve que ser transferido para cá, recebendo todos os cuidados médicos e lutando pela vida, na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Neonatal da Santa Casa.
A mãe ficou 38 dias na UTI, sendo 23 intubada. Um quadro bem grave, com 70% dos pulmões comprometidos e necessidade de hemodiálise. Só recebeu alta após 44 dias, saindo do hospital sem andar, sem movimentar os braços, entre outras sequelas. Na quinta-feira, após mais de três meses em casa, mais fortalecida, mas ainda em recuperação, ela veio buscar o filho - que só tinha visto por vídeos e fotos - e pegá-lo no colo pela primeira vez. Se quem lê a notícia já se emociona, imagina quem estava lá. 
Ainda ontem, trouxemos matéria sobre a suspensão do atendimento dos 15 leitos de suporte respiratório da UBS (Unidade Básica de Saúde) Doutor Otelo Milani Junior, conhecida popularmente como Cohabão, em decorrência da baixa demanda de pacientes com Covid-19. A unidade, instalada em março deste ano pela Prefeitura, em parceria com a Câmara, empresas privadas e a sociedade civil, tinha o objetivo de desafogar as UPAs (Unidades de Pronto-Atendimento) e prestar assistência aos pacientes com sintomas leves e moderados da doença, que aguardavam por vagas em hospitais. 
A união em prol da vida, sem dúvidas, foi a grande propulsora deste projeto, que foi executado em tempo recorde e trouxe esperança de dias melhores. Estes que começamos a viver agora. 
Em Prudente, na quinta-feira, por exemplo, nenhuma morte por Covid-19 foi registrada nas últimas 24 horas. Já tivemos recentemente, após muito tempo com vários óbitos diários, outros dias assim. O número de contaminados também segue em queda, assim como a taxa de ocupação de UTI que, se há meses atrás chegou a 100%, agora dificilmente tem ultrapassado os 50%. Reflexo da vacinação, que tem avançado cada dia mais. Que tem trazido, aos poucos, nossa vida de volta.
As notícias são animadoras sim. Mas os cuidados devem continuar. O uso de máscaras, álcool em gel e o distanciamento social são essenciais nesta luta. A pandemia ainda existe, as variantes não param de chegar. Vacina no braço e fé no coração, que tudo vai passar! Está passando...  
 

Veja também