Nova frente fria, ainda mais gelada, deve chegar à região no final do mês

Conforme estação meteorológica, previsão é que, no dia 30, termômetros registrem temperaturas mínimas próximas a 3 ºC, com alto risco de geadas

PRUDENTE - CAIO GERVAZONI

Data 23/07/2021
Horário 15:00
Foto: Arquivo
Região deve sentir a chegada da massa de ar a partir de quarta-feira
Região deve sentir a chegada da massa de ar a partir de quarta-feira

Os últimos 30 dias têm sido gelados no oeste paulista. Além das duas frentes frias que chegaram à região de Presidente Prudente no início e meio de julho, a previsão é terminar o mês com uma terceira onda de frio ainda mais intensa e provavelmente com o dia mais gelado do ano em vários municípios da região. Conforme a Estação Meteorológica “Professor Vagner Camarini Alves”, da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista), no dia 30, sexta-feira, os termômetros podem chegar a temperaturas mínimas próximas a 3 ºC, com alto risco de geadas.  

Segundo o professor Alexandrius de Moraes Barbosa, responsável pela Estação Meteorológica da Unoeste, a nova frente fria tem potencial para ser a mais forte de 2021 até o momento. A massa de ar polar, que avança sobre a Argentina e o Uruguai, deve atingir a região sul do Brasil no dia 27. “A diferença da última é que esta massa está com intensidade maior, tendo potencial para causar maior redução nas temperaturas mínimas”, aponta o professor.

O avanço da onda de frio traz um grande risco de geadas para a região de Prudente, que deve sentir a chegada da massa de ar a partir de quarta-feira. A ocorrência do fenômeno prejudica a produção agrícola da região. Vários produtores rurais relataram perdas constantes com as últimas geadas que foram registradas no avanço das duas últimas frentes frias.  

A nova massa de ar polar deve trazer pequena quantidade de chuva para a região, que vive um longo período de estiagem. “Tanto o modelo meteorológico europeu como o americano indicam chuvas para a região, com volume variando de 10 a 15 mm entre quarta e quinta-feira”, revela Alexandrius. De acordo com o especialista, as chuvas começam a retornar com certa normalidade no fim de setembro e devem se tornar regulares na segunda quinzena de outubro.

Vale lembrar que os vários modelos meteorológicos utilizados na previsão do tempo destoam frequentemente. Entre eles, o modelos europeu ECMWF (European Centre for Medium-Range Weather Forecasts) e o norte-americano GFS (Global Forecast System) são os mais usados nas previsões. Eles usam variáveis meteorológicas diferentes ou dão pesos diferentes a essas variáveis. “Nem sempre estes modelos indicam a mesma informação, podendo ter algumas divergências”, explica o professor Alexandrius.

Veja também