O imperador de todos os males

Jair Rodrigues Garcia Júnior

Nosso sistema imunológico é incrivelmente eficiente e nos protege ininterruptamente de muitos agentes causadores de doenças, inclusive as células do próprio corpo, com crescimento anormal que se tornam cânceres. Não é perfeito (vide coronavírus), por isso as células anormais por vezes escapam desta vigilância e se proliferam.

O mal

Os tumores, cânceres ou CAs são mais de cem doenças diferentes agrupadas sob estas denominações porque guardam a característica em comum do crescimento anormal de células, tomando tecidos e órgãos específicos e também se espalhando pelos demais. O “Imperador de todos os males” é o título do livro sobre os aspectos históricos, biológicos e sociais relacionados ao câncer. O autor dessa biografia do câncer é Siddartha Mukherjee, indiano com formação médica nos EUA (Harvard, Stanford).

Batalhas

Em seus 4.000 anos de história e 2.500 anos de terapias (tumor extirpado na rainha persa Atossa, 440 a.C.), batalhas foram e continuam sendo travadas (algumas ganhas e outras perdidas) para conter o crescimento irrefreável e descontrolado das células que se caracterizam pelo excesso de atividade metabólica e proliferativa, cuja única finalidade é aumentar em número.

Visibilidade

O câncer costuma ser escondido, porém o combate ganhou mais aliados e força justamente quando se tornou foco de ativismo social e passou a ter relevância cultural em campanhas publicitárias, filmes e peças literárias. Vieram então a relevância política e o crescimento dos investimentos em pesquisa para seu melhor entendimento e tratamento.

Vacina

O poderoso medicamento que um dia poderá erradicar pelo menos algumas dessas mais de cem doenças continua sendo buscado, porém todos os avanços em outras frentes, como prevenção, diagnóstico e tratamento representam alento e vitórias significativas. Mas há desigualdades, pois enquanto políticas de diagnóstico e rastreamento beneficiam ampla população, as avançadas terapias moleculares e genéticas são acessíveis a poucos.

Caminhos acertados

É fato que 90% dos tumores de mama (segundo mais comum) são causados por fatores ambientais (70% para os demais tumores malignos). Por isso, a PREVENÇÃO PRIMÁRIA deve se concentrar no estilo de vida, alimentação e hábitos sociais, tais como ser fisicamente ativo(a), evitar refeições ricas em gorduras saturadas (animais), diminuir ou eliminar o consumo de álcool, excluir tabagismo ativo e passivo, e diminuir a carga de estresse. São todos fatores modificáveis que diminuem a morbidade (agravamento) e mortalidade. Na sequência vem a PREVENÇÃO SECUNDÁRIA focada no diagnóstico precoce por meio de exames (autoexame, mamografia, ultrasonografia e ressonância magnética).

Prevenção, diagnóstico e tratamento representam alento e vitórias.

 

 

Veja também