O intestino regula a saúde

Jair Rodrigues Garcia Júnior

Rotina é algo que nem todos gostam, porém é uma necessidade para manutenção do equilíbrio dos sistemas fisiológicos e a saúde. Dias de festas no final e ao longo do ano são momentos nos quais a alimentação sai da rotina. Em geral, há maior consumo de gorduras, proteínas, sal, açúcar (refrigerantes e doces) e bebidas alcoólicas.

Seletividade

O intestino tem várias funções e as evidências de sua importância para saúde são cada vez mais numerosas. Suas funções de digestão e absorção dos nutrientes são muito bem reguladas, com alguma tolerância para a quantidade e qualidade do que é ingerido. A parede intestinal funciona também como uma barreira, que impede a passagem de patógenos e moléculas que não devem passar para o sangue e chegar até as células. 

Limites

A função do intestino tem limites, por isso não é possível digerir e absorver 100% do que é ingerido numa refeição excessiva (ex. festas). Mesmo assim, o que é absorvido numa refeição excessiva, normalmente, é mais do que seu corpo precisa. Neste último caso, haverá necessidade metabolizar, armazenar (ex. carboidratos e gorduras) e eliminar (ex. aminoácidos e sal). Também álcool e medicamentos são absorvidos, metabolizados, armazenados ou eliminados.    

Interações

A função do intestino está relacionada com a função do sistema nervoso, imune, pâncreas, fígado, músculos etc. Portanto, a quantidade e o teor do que você ingere influencia sua saúde, pois aumenta ou diminui a inflamação sistêmica crônica e o risco de doenças crônicas como doença inflamatória da vesícula, obesidade, diabetes, síndrome metabólica, doença cardiovascular e câncer.

As bactérias

São 100 quadrilhões de bactérias (10x mais que o número de células do corpo) que habitam o intestino (microbiota), sendo algumas benéficas (firmicutes) e outras maléficas (bacteroidetes). A condição de biose significa o ligeiro desequilíbrio em favor das bactérias benéficas e de seus efeitos benéficos em outros sistemas. Medicamentos, álcool, tabagismo e a própria alimentação inadequada podem causar a disbiose e iniciar doenças metabólicas e outras.

Como manter a biose

Em termos de alimentação, devem ser priorizados os alimentos de origem vegetal e iogurte natural, e diminuídos os alimentos de origem animal e açúcar. Os vegetais aumentam a produção intestinal dos ácidos graxos de cadeia curta, que são protetores. Atenção às fontes de gorduras, principalmente se você joga no time (nada científico) dos consumidores de banha de porco e óleo de coco. Essas e outras fontes de gorduras “saturadas” (ex. carnes gordas, leite integral) alteram o metabolismo das bactérias, provocam inflamação crônica, aumento do colesterol e da LDL e diminuição da sensibilidade à insulina (pré-diabetes).   

Alimentação inadequada pode causar a disbiose e iniciar doenças.

Veja também