O papel da família na prevenção do uso de drogas 

OPINIÃO - Marcos Akira Mizusaki

Data 13/07/2021
Horário 05:00

Um dos grandes desafios dos pais e dos poderes públicos em geral consiste na prevenção do uso de substâncias ilícitas pelos adolescentes. Nesta fase, os seus hormônios estão em pleno vapor, de modo que a imposição de limites e cumprimento de regras aos adolescentes se tornam mais difíceis, já que eles não aceitam passivamente as orientações, tendo uma tendência maior de viver com amigos, agravadas pelas incansáveis buscas de novas experiências, prazeres e sensações. Por conta disso, muitos adolescentes acabam entrando no mundo das drogas. 
Estas substâncias agem de forma imediata no cérebro, ativando o sistema de recompensa, responsáveis pelas emoções, estimulando a produção e liberação de dopamina, substância relacionada ao prazer, proporcionando rapidamente as sensações por eles almejadas.
No entanto, o seu uso constante e prolongado acaba provocando consequências nefastas. Os estudos revelam que adolescentes usuários tiveram grandes prejuízos nos estudos e relacionamentos sociais; redução da capacidade cognitiva e raciocínio lógico; dificuldades de concentração; dificuldades de retenção de informações; pensamentos lentos; alterações na capacidade de julgamento e juízo crítico, aumentando a agressividade e impulsividade. As drogas, portanto, destroem aquilo que é mais importante no ser humano, o cérebro. Além disso, seus pensamentos giram apenas em torno de obtenção de novas drogas e seu novo consumo a qualquer custo, tornando-se um viciado. 
Com a dependência materializada, seu comportamento passa a extrapolar os limites legais, onde acaba praticando delitos para obtenção de mais drogas, seja contra a própria família, ou contra a sociedade, passando à prática do tráfico, furtos ou roubos. Chegando nesta fase, os familiares já não conseguem mais controlar os adolescentes, dependendo apenas de ações do Estado, onde termina privando sua liberdade.
Portanto, o ideal é que estes adolescentes não entrem no mundo das drogas. Esta prevenção, que começa dentro de casa, depende prioritariamente das atitudes dos pais ou responsáveis, os quais devem deixar bem claro sobre os malefícios do uso das drogas, estando sempre atentos sobre suas atitudes e comportamentos, monitorando sua rotina e seus amigos, e se possível, tendo contato com os pais destes, para que consigam interferir nesta trajetória sem fundo o quanto antes. Estimular a prática religiosa ou espiritual também é muito importante. Pais que levam seus filhos à igreja, jamais precisarão de visitá-los num presídio. Estimulem à prática de esportes. O esporte incentiva desenvolvimento de disciplina, regras, respeito, hierarquia, companheirismo, organização, liderança, cooperação e trabalhos em equipe.
É claro que não esgotamos todas as informações e recomendações necessárias, diante da complexidade do tema. No entanto, desejamos ao menos despertar o debate, para que os pais não permitam que seus filhos caiam no vício, e que eles aprendam a dizer “não” às drogas e a obterem as sensações almejadas nesta fase com as atividades normais da vida.
 

Veja também