O que comemorar?

OPINIÃO - Marcos Alves Borba

Data 29/07/2020
Horário 04:27

É natural de todos nós comemorarmos datas que consideramos ser importantes e que realmente valham a sua lembrança. Sejam aquelas que marcaram um tempo devido a sua relevância e significado, principalmente, as que de alguma forma nos movem, nos alegram e nos deixam muito motivados. Desde que me entendo por gente, lembro-me perfeitamente daqueles dias, em que nossa família, em pouquíssimos momentos se reunia para saborear e valorizar aquele tão sublime dia. 
Sem dúvidas que um dos momentos a ser lembrado e muito valorizado seria o aniversário de alguém da família. Mesmo de maneira muito tímida, quando amanhecia e pelo menos recebíamos os parabéns, um abraço e até um beijo pela nossa vida. Se teríamos mais tarde um bolo com refrigerante, suco ou até mesmo um presente, seria outra história, pois nem sempre o momento tão bem lembrado poderia ter a sua complementação com uma grande festa. 
Assim e talvez, poderíamos dizer que seriam outros momentos, outros tempos, outras analogias de uma época que o verdadeiro sentido por não ter a condição de se fazer uma pequena festa se baseava nada mais, nada menos de não ter realmente as condições. Evidente, cada um dentro de sua própria realidade, de pura necessidade de gastar com aquilo que, aliás, assim seria um momento de sobrevivência mesmo. 
Creio que o momento agora e de extrema relevância para muitos de nós seria a comemoração da cura por uma doença que contaminou o mundo, e que ficamos à espera de um antídoto que resolva de vez essa pandemia. Muitos ainda esperam por boas notícias, enquanto outros comemoram por ter recebido o resultado de um exame negativo, e assim poder saborear o que realmente a vida tem de maior valor. E assim quem sabe, comemorar outro aniversário!
Vivemos momentos muito delicados e que devemos tentar associar o que realmente nos cabe à comemoração, sem o julgamento do que é impróprio a cada um de nós, dentro da condição do que podemos avaliar. Seja possível que entre o entender e o aceitar nos cabe o sentido de que empatia possa ser incutida em qualquer lugar do mundo, desde que tenha a sua validade de entendimento sóbrio e verdadeiro. Talvez, para alguns, comemorar seja apenas um abraço agora (mesmo sem a necessidade de se aproximar nesse momento), enquanto para outros, o nascer do dia seja o seu maior presente. 
 

Veja também