Os Ovos de Madame

Sandro Villar

O Espadachim, um cronista a favor do tigre e do trigo

CRÔNICA - Sandro Villar

Data 15/10/2020
Horário 05:32

Quando uma amiga lhe contou que ovos caipiras, aqueles galados, são mais saudáveis do que os ovos das galinhas de granja, a madame Amelita ficou encantada por saber das qualidades de tais ovos. "Ovo caipira tem mais proteína", explicou a amiga Josefina.
Depois disso, a madame "desovou" seu "estoque" de ovos de granja que mantinha na geladeira. Ela queria jogar fora mais de duas dúzias, mas a amiga interveio e sugeriu que Amelita doasse os ovos. 
Madame até que foi caridosa e compreensiva, agindo como um Salomão de saia. Ela deu parte dos ovos a um marmitex que ficava na frente de sua mansão. Entregou a outra parte a um mendigo, hoje em dia eufemisticamente chamado de morador de rua. Em suma: Amelita fez a sua parte. Belo gesto, sem dúvida.
Saíram os ovos de granja e entraram os ovos caipiras ou galados (quando há sêmen do galo). Um criador de galinha caipira vendia ovos galados perto da mansão da madame. 
Ela comprou logo duas bandejas, totalizando 40 ovos. Coisa para teiú nenhum botar defeito, um banquete para esse lagarto com cara de dinossauro.
Louca para experimentar os novos ovos, a madame cozinhou três de uma vez. Quase queimou a mão ao retirar as cascas. Depois que os ovos esfriaram, ela comeu dois e deixou um ovo pro marido, que ainda não tinha chegado do trabalho.
No almoço do dia seguinte, qual foi o prato principal? Omelete de ovos caipiras, claro, dona Clara. Ela e o marido comeram com gosto e, para a primeira semana, já era suficiente o consumo da "iguaria", que já foi comida de pobre.
Na semana seguinte, Amelita decidiu fritar dois ovos, mas desta vez teve uma surpresa desagradável. Um ovo tinha uma mancha de sangue e o outro "hospedava" um pintinho já em adiantado estado de formação.
Madame deu um grito que ecoou pela vizinhança. "Que nojo!", comentou, soltando o "juca" no banheiro, ou seja, vomitou mais do que vulcão em erupção. Depois do susto, ela chamou a Josefina e recomendou à amiga: "Leva esse troço embora".
E foi o que a amiga fez. Juntou os ovos e os levou para o bar do Paulão. Os ovos foram consumidos entre doses de cachaça e de cerveja, incluindo os ovos com manchas de sangue e com pintinhos. 
"Passamos tudo na frigideira, uma fritada legal", explicou o Paulão, observando que os fregueses mais bêbados acharam uma delícia aquelas "codorninhas" tão crocantes. 

DROPS

André do Rap está happy.

Com o Pantanal ardendo em chamas, estamos na Pátria Queimada Brasil?

Não desligue a tevê no horário eleitoral. Alguns candidatos podem te divertir.

O passado nos tortura. O futuro nos preocupa.
(Gustav Flaubert, escritor francês)
 

Veja também