Papa convoca Ano Família Amoris Laetitia

Diocese Informa

COLUNA - Diocese Informa

Data 03/01/2021
Horário 04:50

O novo desafio lançado pelo papa Francisco vai bater na porta da nossa casa, que se transformou numa Igreja doméstica de graças às circunstâncias impostas pela pandemia da Covid-19. Para repensar e valorizar a família e dar um novo impulso à aplicação da Exortação Apostólica Amoris Laetitia, no último domingo (27) Francisco convocou um Ano “Família Amoris Laetitia”.  O padre Alexandre Awi Mello, secretário do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, explica que será um período para promover várias iniciativas além de oferecer subsídios pastorais para se “reencantar pela mensagem do papa” destinada às famílias:
“Vai ser o tempo para que as famílias do mundo inteiro, nas suas paróquias, como Igreja doméstica, nas conferências episcopais, nos movimentos familiares, possam tomar de novo nas mãos a Exortação Apostólica que foi fruto de dois Sínodos: voltar a se embeber da riqueza dessa exortação, a beleza do amor familiar, com todos os seus aspectos bíblicos, teológicos, pastorais; e voltar a se reencantar por essa mensagem do papa às famílias no mundo de hoje. (...) A forma principal de participar é nas paróquias, nas dioceses, nos movimentos familiares, oferecendo ajuda aos párocos, oferecendo ajuda à Pastoral Familiar, para que este trabalho possa ser realizado com ardor, com afinco, e a partir justamente das próprias famílias. As famílias não são objeto deste Ano Amoris Laetitia, mas são justamente as protagonistas, sujeitos da evangelização e sujeitos também desse ano especial convocado pelo papa”.
O exemplo de São José para repensar a família. O Ano “Família Amoris Laetitia” começa no 19 de março de 2021, festa de São José, e termina em junho de 2022: “São José nos conduz a repensar e a colocar novamente a família no centro da nossa preocupação. A grande missão de José foi ser pai, chefe de família, esposo, então, que ele também nos ajude e ajude todas as famílias a nos reencantarmos. A beber novamente dessa fonte que é a exortação Amoris Laetitia para que a família continue sendo uma fonte fundamental de vida para a Igreja, para a sociedade – a célula fundamental da nossa sociedade, para que as famílias possam continuar sendo cada vez mais missionárias, abertas a outras famílias, abertas à humanidade, dando a sua contribuição para que o mundo seja melhor”.
O convite a viver como família. O próprio Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida será um acompanhante assíduo durante esse período ao promover uma série de iniciativas. Entre elas, como explica o Pe. Alexandre, um fórum que vai contar com a participação de representantes das conferências episcopais do mundo inteiro, particularmente, de pessoas que atuam no setor que trabalha com as famílias para avaliar “a que ponto estamos com Amoris Laetitia”. “Como essa exortação tem sido aplicada nos diferentes países, quantas iniciativas surgiram a partir disso, como a pastoral de preparação ao matrimônio e o acompanhamento de casais foi revitalizado através desta exortação; queremos produzir alguns subsídios como vídeos explicativos com a própria palavra do Papa que vai nos ajudar a aprofundar em cada um dos 9 capítulos da exortação. É uma maneira para que possamos, assim, aprender ainda melhor aquilo que o papa nos convida a viver como família.”

Liturgia

Solenidade da Epifania do Senhor
Leituras: Isaías 60,1-6; Salmo 71/72; Efésios 3,2-3a.5-6; Mateus 2,1-12: À Luz da Estrela
I.- Antífona de entrada: Eis que veio o Senhor dos senhores; em suas mãos, o poder e a realeza. (Ml 3,1; 1Cr 19,12)
II.- JESUS: LUZ QUE SE REVELA ÀS NAÇÕES. A celebração da Epifania (manifestação) do Senhor é para nós como um segundo Natal. Na realidade, é o Natal das Igrejas Orientais. Esta festa proclama que Jesus Menino pertence e se entrega ao mundo inteiro como seu salvador. Com os Magos, o mundo inteiro traz a Jesus sua variedade de dons: suas culturas, suas muitas peculiaridades, suas diferentes identidades. E nós, como todas as pessoas de todas as nações, lhe trazemos o dom de nós mesmos: nossa fé, nosso propósito de fidelidade, nosso amor, ao encontrar-nos com Ele na oração e nos irmãos, especialmente nos mais pobres.
III.- Leituras: 1) O povo de Deus, uma Luz para todos. Numa visão, o profeta Isaías vê imensa quantidade de povos acorrendo em bandos de todas as partes do mundo para a luz divina. 2) Todas as nações, chamadas em Cristo. Jesus Cristo veio para unir a todos: todos os povos, sem discriminação alguma, estão chamados a unirem-se ao povo de Deus. 3) “Seguimos a sua Estrela”. Os judeus que estão familiarizados com as promessas de Deus não seguem Jesus; os poderosos da Palestina o temem. Porém os que vêm de longe buscando o Salvador, o encontram e o reconhecem. Deus aceita a todos com seus próprios talentos e potencialidades.
IV.- Citação: “Os Magos não voltarão pelo mesmo caminho da vinda. Mudou o caminho, mudou a vida... Encaminhemo-nos nós também por uma nova estrada, não voltando pela mesma por onde viemos.” (Santo Agostinho)
V.- Oração: Ó Deus, que hoje revelastes o vosso filho às nações, guiando-as pela estrela, concedei aos vossos servos e servas, que já vos conhecem pela fé, contemplar-vos um dia face a face no céu.

* Para o Ano da Graça de 20201, uma Bênção: ┼O SENHOR te abençoe e te guarde; o SENHOR faça resplandecer o seu rosto sobre ti e te conceda graça; o SENHOR volte para ti o seu rosto e te dê paz. (Nm 6,24-27). ┼Em Nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém
 

Veja também