Paz na Terra aos homens de boa vontade

Persio Isaac

CRÔNICA - Persio Isaac

Data 08/03/2020
Horário 04:56

Olha no relógio do seu celular que marca 8h50 da manhã. A noite foi dura para ele. Recebeu uma triste notícia do seu advogado. Sua empresa tinha sido arrematada no último dia do leilão. Sua mulher soluçou quase a noite inteira. Uma sensação de impotência aparece. Sua autocrítica o chama de incompetente e fracassado. Ele resiste às lágrimas que para ele são como pérolas. Não se pode desperdiçá-las à toa. Essas lágrimas que saem dos seus olhos valem a pena.

A tristeza é maior do que seu orgulho. Mais um grande desafio que terás que enfrentar. Dizem que o sofrimento é o melhor professor na vida. Ele já passou por duras lições. Essa é a pior delas. Um sentimento de abandono abraça seu coração. Não pede nada e nem reza para Deus. Não se sente digno de ficar ajoelhado e pedir para Deus aliviar seu sofrimento. Se um dia eu rezar pra Deus, que seja através do amor e não pela dor ou pelo medo. Acredita que deve ser assim.

Lembra que quando menino usava calças curtas, mas tinha sonhos longos. Um dia olhou para céu, tentando conversar com as estrelas, estava desnudo de todas as maldades. Sentiu os bons sentimentos do mundo e os vestiu. Nesse momento, está sentado no banco de um posto de saúde esperando ser chamado pela Dra. Aline. Mediram sua pressão que está 14x8. É normal pelos seus 67 anos. Um rapaz mulato sai do consultório e o chama com um sorriso no rosto. A Dra. o recebe com alegria de um dia de sol. Aquele sorriso, aquela alegria, foi uma benção e uma porrada nessa melancolia.

Erros acontecem, pois a natureza humana é precária. Um dia seu tio, que era milionário, disse a ele: “Quer ficar rico?”. Ele ainda um adolescente, que conversava com as estrelas, respondeu de uma maneira condicionada pela sociedade que se arrasta até o chão por dinheiro e por posição. Se esquecem que ninguém vai levar nada no caixão: “Lógico tio”. O tio olhou para o sobrinho sonhador e disse: "Case com o dinheiro". Esquece família, amigos, amor e todas as coisas que podem atrapalhar seu foco em querer ficar rico. O mundo gira em torno de sexo e poder, não se esqueça disso. Seu pai não tem malícia e nem a maldade. Ele é muito crédulo. Esse mundo é sujo.

Ele não entendeu a visão do tio, um imigrante sírio que aprendeu desde muito cedo que o valor de um homem está em quanto tem em seu bolso. Triste, mas é a realidade. Seu pai era diferente. Um homem de família e de muitos amigos. Muito religioso e  espiritualizado. Não tinha alguma semelhança com a visão de mundo do seu tio.  Muitas vezes chegava em casa sem dinheiro no bolso, mas entrava com um sorriso no rosto e uma esperança adiante. Colocava um samba de Martinho da Vila e seus irmãos cantavam com ele. Adorava a voz de Fairuz, a cantora que é a maior expressão musical do mundo árabe. Sua mãe recebia seus amigos como se fossem filhos dela. Sua casa estava sempre cheia de amigos.

Dois homens completamente diferentes. O tio dele nunca se casou. Viveu solitariamente de mãos dadas com o dinheiro. Seu pai amou e foi amado. A força da esperança sempre será o sentimento mais forte que move a raça humana. Amanhã é outro dia. Sua indignação cobra para ele mudar esse placar negativo no jogo da vida: Levanta a cabeça, sacode essa poeira e vai dar a volta por cima. São apenas perdas materiais. Chega em casa, abraça e beija sua mulher, que sorri com lágrimas nos olhos. Lembra uma frase bíblica que seu pai sempre lhe falava nos momentos difíceis: "Paz na Terra aos homens de boa vontade". Está se sentindo aquele mesmo menino que usava calças curtas, mas tinha sonhos longos.

 

 

Veja também