Peso corporal: ganho, perda e ajuste

Jair Rodrigues Garcia Júnior

Atire a primeira maçã quem nunca tentou perder o excesso de peso, mesmo sendo apenas 2 a 4 kg que deixam a calça ou o vestido um pouco apertados. Sim, muitos de nós estamos tentando e enfrentando dificuldades e revezes no processo. Afinal, por que esses Kg em excesso acumulados ao longo de anos são tão “resistentes”? Seu personal trainer ou nutricionista sabem? Já te explicaram?

Básico

 A Primeira Lei da Termodinâmica (lei natural e sem escapatória) determina que o estoque de energia corporal (gordura) aumenta ou diminui de acordo com a diferença entre consumo (dieta) e gasto (atividades diárias). Portanto, fisiologicamente, basta diminuir o consumo, aumentar o gasto ou ambos ao mesmo tempo. Porém, há dificuldades comportamentais, pois é difícil abandonar hábitos arraigados. Um problema adicional é a opção por dietas “mágicas” e não pelas adequadas, as quais devem ser mantidas (com ajustes) por toda a vida.  

O peso é controlado pelo hipotálamo, que determina a fome e a taxa metabólica

Ganhar e perder

Em 2011, o personal trainer americano Drew Manning resolveu “sentir no corpo” a dificuldade de seus alunos com o sobrepeso e emagrecimento. Durante seis meses adotou os hábitos de um típico americano (nos EUA 67% dos adultos têm sobrepeso). Tornou-se sedentário e passou a comer alimentos ultraprocessados, ricos em açúcar e gordura, à vontade. Ganhou 34 Kg que afetaram sua saúde física e emocional. Nos seis meses seguintes, voltou à dieta adequada, rotina de exercícios, se livrou do excesso de gordura e recuperou sua saúde.

O tempo é importante

Perceba que o ganho dele foi de quase 6 Kg/mês, algo totalmente “artificial”, pois foi provocado deliberadamente. As pessoas com sobrepeso normalmente aumentam 1 a 3 Kg/ano e chegam ao IMC de sobrepeso (>25 Kg/m2) ou de obesidade (>30 Kg/m2) ao longo de uma década ou mais. Outro aspecto importante foi que, ao terminar o período pré-estabelecido, ele já retornou aos hábitos saudáveis e iniciou o processo de diminuição do peso. As pessoas em geral iniciam dieta e prática de exercícios apenas depois de vários anos de sobrepeso ou obesidade. Por isso, para as pessoas em geral, a perda de todo o excesso em poucos meses é improvável. 

Ajuste do “SET POINT”

De fato, o peso é controlado pelo hipotálamo (estrutura do sistema nervoso), que determina a fome e a taxa metabólica de acordo com variações do equilíbrio energético, isto é, comer demais ou fazer dieta restritiva. Para esse controle há um “registro” (set point) do peso normal. O problema é que, na medida em que o peso vai aumentando e nunca abaixa, o set point é ajustado para cima. Com isso, o “peso normal” passa a ser o sobrepeso e o hipotálamo trabalha mantê-lo. Felizmente, o set point pode ser ajustado para baixo novamente, porém para isso, o excesso deve ser perdido e o peso mais baixo deve ser mantido estável durante o número de meses equivalente aos Kg perdidos. Lembre-se disso.
 

Veja também