Pessoas com deficiência podem responder à pesquisa online do Estado sobre empregabilidade

Propósito é conhecer o perfil e demandas deste público em relação às suas expectativas de qualificação profissional, acesso e barreiras ao emprego

Geral - DA REDAÇÃO

Data 16/12/2020
Horário 14:44
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Há apenas 1,17% desta população ativa no mercado de trabalho no Estado
Há apenas 1,17% desta população ativa no mercado de trabalho no Estado

Nesta quarta-feira, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência lançou a pesquisa "Pessoa com Deficiência e Emprego". Ação tem como objetivo traçar novas estratégias e implantar ações que potencializem o processo da inclusão profissional das pessoas com deficiência. Destinada às pessoas com deficiência, a pesquisa pode ser respondida até 31 de janeiro de 2021 por meio do link bit.ly/PesquisaEmprego, estando totalmente acessível em Libras (Língua Brasileira de Sinais) no link bit.ly/PesquisaEmpregoLibras.

Devido ao aumento da taxa de desemprego ocasionada pela atual crise econômica disparada pela pandemia do novo coronavírus e pela histórica de exclusão do acesso da pessoa com deficiência ao mercado de trabalho, a secretaria quer conhecer os principais desafios encontrados, o interesse em qualificação profissional e as principais barreiras no acesso e permanência da pessoa com deficiência no mercado de trabalho.

Segundo a Base de Dados dos Direitos da Pessoa com Deficiência, há mais de 3 milhões de pessoas com deficiência no Estado de São Paulo, sendo apenas 1,17% desta população ativa no mercado de trabalho. Ainda, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do 3º trimestre, houve um saldo negativo no número de pessoas com deficiência admitidas e demitidas, de 8.244.

"Cada um com o seu talento pode e deve desenvolver suas aptidões. Neste quesito, a empregabilidade é o melhor caminho. Com isso, a pesquisa 'Pessoa com Deficiência e Emprego', feita pelo governo de SP, por meio da nossa secretaria, busca exatamente conhecer o perfil deste segmento e entender as dificuldades e barreiras que as impedem de estarem no mercado de trabalho", ressaltou a secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Célia Leão.

 

 

Veja também