Polícia Civil ouve testemunhas sobre morte de atleta da Semepp

Luiz Henrique Tomaz, de 26 anos, que também era instrutor de kung fu, morreu depois de ser encontrado esfaqueado no estacionamento da rodoviária de Presidente Prudente

PRUDENTE - ROBERTO KAWASAKI

Data 13/07/2021
Horário 15:09
Foto: Cedida
 Luiz Henrique Tomaz, tinha 26 anos, era instrutor de kung fu e atleta da Semepp
Luiz Henrique Tomaz, tinha 26 anos, era instrutor de kung fu e atleta da Semepp

A Polícia Civil começou a ouvir testemunhas sobre a morte de um homem que foi encontrado esfaqueado no estacionamento da rodoviária de Presidente Prudente, na madrugada de domingo. A vítima, Luiz Henrique Tomaz, tinha 26 anos, era instrutor de kung fu e atleta da Semepp (Secretaria Municipal de Esportes).

Conforme noticiado por O Imparcial, a Polícia Militar relatou que foi acionada para comparecer ao local e encontrou o rapaz caído no chão. Segundo socorristas, ele estava com ferimento no tórax, mais precisamente, embaixo do braço direito. Ainda conforme o policiamento, acredita-se que tenha sido provocado por um instrumento pérfuro cortante.

A vítima foi levada ao HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo, onde passou por atendimento médico. No entanto, não resistiu e morreu no começo da tarde. 
Até então, o homem não havia sido identificado, pois não portava documento algum. Porém, a mãe, que é moradora de rua, soube do acontecimento, mas quando chegou ao hospital, o filho já estava morto.

Em nota, o hospital informou que o paciente deu entrada no pronto-socorro da unidade no último domingo, às 03h42, mas devido à gravidade, o quadro clínico evoluiu a óbito às 12h45 do mesmo dia.

O delegado Claudinei Alves, da Delegacia de Homicídios da Deic-8 (Divisão Especializada de Investigações Criminais), informou a O Imparcial que o rapaz foi ferido após uma briga. Segundo testemunhas, o crime ocorreu em uma conveniência que fica na Avenida Brasil e, após ser golpeado com uma faca, ele correu até o estacionamento da rodoviária, onde caiu e foi encontrado inconsciente. 

Os detalhes sobre o motivo da discussão e a quantidade de envolvidos estão sendo investigados. De acordo com o delegado, foi recolhida uma gravação de vídeo que pode auxiliar na apuração. O material está sob análise da perícia e deverá compor o inquérito policial. 


Cedida - Luiz representou Presidente Prudente em diversos eventos esportivos

Despedida dos amigos

Luiz Henrique Tomaz, mais conhecido como “Tomaz”, já representou a cidade em eventos esportivos, como em campeonatos e apresentações. “Viu no esporte a motivação para mudar sua vida e fez isso com maestria, era excelente naquilo que amava fazer”. É o que afirma Tiago Nunes Silva, amigo do rapaz.

“Ele cresceu sem uma estrutura familiar muito boa, mas isso não o impediu de se tornar uma das pessoas mais incríveis que já conheci. Um artista marcial sempre admirado por todos, excelente amigo, excelente filho, visto que nunca deixou sua mãe desamparada”.

Isso porque, conforme Tiago, devido à dependência química, a mãe de Luiz Henrique estava em situação de rua.

“Mas ele sempre fez o máximo para ajudá-la a se tratar e dar uma vida melhor a ela. Ele tinha um lar, e pessoas que o amavam ao seu lado e não era morador de rua. O que fica são as boas lembranças de um homem justo e de bom coração que nunca mediu esforços para ajudar quem fosse preciso, e que nunca deixou que as adversidades da vida o corrompesse”.

A engenheira civil, Thais Silva Nascimento, conheceu Luiz em 2012, quando ele começou a treinar kung fu na mesma turma que a dela. A partir daí, a amizade cresceu. “Sempre foi muito presente como amigo, e sempre depois dos treinos ficava comigo esperando o ônibus pra que nada acontecesse e chegasse bem em casa. Quando ele passava por perto de casa nunca esquecia de vir dar um ‘oi’ , aparecia de surpresa”, recorda.

“A imagem que ele irá deixar, com certeza, para mim, é de uma pessoa batalhadora e alegre  que sempre sorria e seguia em frente, independente dos problemas que surgiam”.

“Meu maninho, um cara forte, guerreiro, não só de físico mas de espírito também”, é assim que ele será lembrado pela amiga Andressa Flavianny Sampaio. “Com certeza a Família Shizuka de Kung Fu foi o que ele teve mais perto de amor e carinho vindo dos irmãos de treino. Ele descansou eternamente vestindo o uniforme do nosso estilo de kung fu ele encontrou refúgio nas artes marciais”, lamenta. 


Cedida - Amigos lamentam a morte de Luiz Henrique, instrutor e atleta da Semepp

"Ele amava lutar"

Maria Dias da Silva Michellon, professora de kung fu responsável pela modalidade junto à Secretaria Municipal de Esportes, lembra que Tomaz iniciou as aulas com ela quando ele tinha 16 anos.

"Senti que seria um aluno aplicado pois se mostrou muito a vontade e com muita vontade para iniciar os treinamentos. No decorrer do tempo adquiriu muita habilidade, desenvoltura e se destacou em diversos campeonatos internos, estaduais e interestaduais da modalidade", afirma. "Sempre estava no pódio. Ele amava lutar".

A professora ressalta que o rapaz era elogiado por todos os colegas de treino, pois também era uma "referência de qualidade técnica"

"Chegou à graduação faixa roxa dentro da modalidade representando a Associação Suzuka de Kung Fu Wushu, que é a 7° faixa. Dizia para mim que queria ser professor, o que foi impedido apenas pela morte precoce", lamenta.

"É difícil falar de uma pessoa como ele, agora, porque não está mais entre nós, vai fazer uma falta muito grande, tanto para os amigos, e eu me incluo nessa lista, como para o esporte, pois fazia parte da minha equipe de alto rendimento junto à Semepp. Esse menino era de ouro!". 


Cedida - Atleta e instrutor, Luiz chegou à graduação faixa roxa dentro da modalidade


Cedida - "Ele encontrou refúgio nas artes marciais", afirma amiga de Luiz Henrique

Veja também