Posso doar sangue depois de tomar a vacina contra a Covid-19?

Ministério da Saúde orienta que doações podem ocorrer depois de 48h da aplicação da Coronavac ou sete dias se o imunizante for da AstraZeneca/Oxford

PRUDENTE - GABRIEL BUOSI

Data 27/02/2021
Horário 04:00
Foto: AI do Hospital Regional 
Doar sangue é um gesto de amor
Doar sangue é um gesto de amor

Este diário noticiou algumas vezes, desde o início da pandemia, que os bancos de sangue de Presidente Prudente enfrentam quedas nos números de doações, em virtude do surgimento da Covid-19. Neste momento, em que alguns profissionais e idosos começaram a ser vacinados, o Ministério da Saúde tem incentivado para que os brasileiros continuem a doar, para que essas quedas não sejam ainda maiores, e façam isso antes de serem imunizados, já que após a vacinação as pessoas precisam ficar temporariamente, por um breve período, impedidas de doar sangue. Segundo o Ministério da Saúde, esse tempo de inaptidão existe porque o micro-organismo da imunização, ainda que na forma atenuada, circula por um período determinado no sangue do doador. 
“Em caso de pacientes imunossuprimidos, há um risco de o receptor desenvolver a doença para a qual o doador foi vacinado”. Por isso, para o imunizante Coronavac, produzido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, o período de inaptidão temporária, ou seja, em que a pessoa não poderá doar sangue, é de 48 horas após cada dose, enquanto que o tempo de inaptidão para as pessoas que receberam o imunizante da AstraZeneca/Oxford, produzido no Brasil pela Fiocruz, é de sete dias após cada dose, segundo o Ministério da Saúde.

Queda nas doações

O Núcleo de Hemoterapia do Hospital Regional Doutor Domingos Leonardo Cerávolo, de Presidente Prudente, informou para a reportagem que, desde o mês de março de 2020, apresentou queda de 30% a 40% nas doações de sangue na unidade. Isso porque, enquanto no ano passado havia uma média de 1,1 mil bolsas coletadas mensalmente, atualmente esse número chegou a cerca de 900. “Ressaltamos que todos os tipos sanguíneos são importantes, porém, aqueles de Rh negativo esgotam-se primeiro, porque são mais raros na população”, aponta. 
Para assegurar a efetividade da doação, a unidade lembra que segue todas as orientações e protocolos do Ministério da Saúde e do governo do Estado de São Paulo, como, por exemplo, ao disponibilizar álcool gel em suas dependências, seguir o distanciamento social recomendado e assegurando o uso obrigatório de máscaras aos doadores e colaboradores da unidade. 
Situação semelhante ocorre no Hemonúcleo anexo à Santa Casa, que antes da pandemia conseguia fechar o mês com uma média de 1,2 mil bolsas de sangue, mas que agora tiveram uma queda de aproximadamente 40%. “É um número reduzido de doadores a cada mês, o que faz com que a gente tenha que intensificar o trabalho de busca ativa de doações, por meio de uma equipe que entra em contato com as famílias e agenda campanhas”, aponta a hematologista Bruna Cerávolo Lemos. No local, todas as recomendações de segurança também são seguidas.
As duas unidades afirmaram que seguem a recomendação de 48h a sete dias para as doações pós-vacinação.

Dever cumprido!

A professora de 52 anos, Cecilia Holtz Correia, fez questão de, mesmo durante a pandemia, exercer aquilo que podemos chamar de olhar ao próximo. Isso porque, doadora há mais de 10 anos, a professora lembra que teve medo apenas quando foi realizar a primeira doação, de forma que hoje já se tornou mais do que um hábito, um ato de amor. “Depois, eu percebi que era indolor e a sensação de ajudar o próximo superava o receio. Sempre que posso eu venho doar e também estimulo os outros a virem, me sinto muito bem fazendo o bem”. 

SERVIÇO
O Banco de Sangue do Hospital Regional está localizado na Rua José Bongiovani, 1297. O funcionamento dele se dá todos os dias, inclusive aos sábados, domingos e feriados, das 7h às 17h. Para mais informações, o telefone de contato é o 3229-1570. Já o Hemonúcleo anexo à Santa Casa funciona na segunda, terça, quinta e sexta, das 8h às 11h e das 13h às 17h; às quartas, das 8h às 11h e das 13h às 19h; e aos sábados, das 7h às 11h.

 

Veja também