Prefeitura paga salários atrasados de funcionários da Prudente Urbano

Sindicato da categoria confirmou que os valores, cujo repasse foi autorizado pela Câmara, caíram na conta dos trabalhadores hoje

PRUDENTE - DA REDAÇÃO

Data 05/08/2021
Horário 17:31
Foto: Arquivo
Medida foi uma forma encontrada pelo Executivo para a manutenção do serviço de transporte coletivo
Medida foi uma forma encontrada pelo Executivo para a manutenção do serviço de transporte coletivo

Após a aprovação do projeto de lei pela Câmara Municipal de Presidente Prudente, autorizando o repasse de R$ 500 mil para o pagamento dos salários e benefícios atrasados dos funcionários da Prudente Urbano, a Sefin (Secretaria Municipal de Finanças) informou que concretizou a destinação dos valores nesta quarta-feira, "honrando o compromisso assumido pela administração municipal".

Procurado, o Sintrattepp (Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Terrestres de Presidente Prudente e Região) confirmou que os pagamentos foram efetuados e caíram na conta hoje.

A Câmara aprovou a destinação de verba pública durante sessão extraordinária realizada no dia 30 de julho. Na ocasião, dos 13 vereadores presentes, nove votaram a favor da iniciativa, enquanto três proferiram votos contrários.

Tratava-se do segundo projeto encaminhado pela municipalidade à casa de leis com o objetivo de obter a autorização. No dia 28 de julho, os vereadores discutiram, também em sessão extraordinária, a proposta de repasse no valor de R$ 1 milhão à concessionária. Na oportunidade, dos 13 parlamentares, dois estiveram ausentes. Como restaram 11, seriam necessários seis votos pela aprovação e apenas cinco foram favoráveis.

Manutenção do serviço

A medida foi uma forma encontrada pelo Executivo para a manutenção do serviço de transporte coletivo, que ficou comprometido durante 40 dias, entre greves parciais e totais. O fim da paralisação ocorreu após a Prefeitura intervir na gestão da concessionária e anunciar o pagamento de salários, vales e tickets aos funcionários.

Segundo a municipalidade, caso fique comprovado que a Prudente Urbano não tem condições para quitar os pagamentos e demais serviços, a administração pública abrirá um processo licitatório para outra contratação.

Veja também