Produtora Cultural faz campanha de pré-venda para financiar livro

Talita Galindo diz que é preciso alcançar a meta de arrecadação para concretizar a produção e impressão da 2ª edição de “Bicho mãe”; 50% da primeira meta que é de R$ 1.900 já foi atingido

VARIEDADES - ESPECIAL PARA O IMPARCIAL

Data 23/01/2022
Horário 05:45
Foto: Ciro Barros
“Bicho mãe” é um livro de poemas que está ligado à vivência de sua maternidade, mas não somente: é sobre ela, mas pode não ser
“Bicho mãe” é um livro de poemas que está ligado à vivência de sua maternidade, mas não somente: é sobre ela, mas pode não ser

A produtora cultural Talita Galindo, 33 anos, está no ar com a campanha de pré-venda pela plataforma Benfeitoria (https://benfeitoria.com/bichomae) para financiar a publicação da 2ª edição do seu livro “Bicho mãe”, pela editora Urutau. Segundo ela a tiragem mínima de livros é em torno de 36. Mas quando essa meta é atingida, ela dobra, automaticamente. As recompensas disponíveis pela plataforma vão desde uma cópia do livro - em formato impresso ou e-book - a outros benefícios.

“Portanto, é importante que interessados na leitura, já garantam o seu livro neste período de pré-venda, pois a editora se baseia nessa demanda para calcular a tiragem. Assim, quanto mais contribuições, mais livros podem ser impressos. Até o momento, atingimos em torno de 50% da primeira meta que é de R$ 1.900”, expõe a autora.

Ela explica que ao alcançar a primeira meta, inicia-se o processo de produção do livro (revisão, diagramação, produção da capa, pedido de ISBN, ficha catalográfica, impressão). Além disso, 10% de todos os livros impressos serão entregues como pagamento de direitos autorais.

A autora diz que é preciso alcançar a meta de arrecadação para que o processo de produção e impressão do livro seja concretizado. “Assim que o livro estiver pronto faremos um lançamento. As recompensas serão livros, autógrafos e pequenos mimos. A experiência com a primeira edição foi fantástica, graças à colaboração de muita gente. Agradecemos muito pelo apoio de todos e desejamos que sempre exista luz. Voe! Evoé!”, deseja Talita.

 

A maternidade

Talita explica que “Bicho mãe” é um livro de poemas que está ligado à vivência de sua maternidade, mas não somente: é sobre ela, mas pode não ser. “Existem muitos lugares onde as maternidades se atravessam, ao mesmo tempo em que nossas experiências podem se conectar, também, com qualquer coisa que não esteja em nós. Onde nos reconhecemos? Quem é essa mãe que é bicho? Ou esse bicho que é mãe?”, indaga Talita citando que a proposta, é tirar a maternidade de seu lugar comum e dos altares inatingíveis. “Em resumo: é um livro honesto”, frisa.

Este segundo livro de Talita foi escrito entre o primeiro e o segundo ano da pandemia causada pelo vírus SARS-CoV-2, no Brasil. Segundo ela entre a louça suja e a roupa lavada. “Em meio ao medo de morrer e ser ferida de morte pela perda. Depois das 22h, horário em que os filhos, quase sempre, descansam de nós”, coloca.

 

Projeto em andamento

Talita está também com o projeto “Zine Mulher do Padre”, em andamento, com previsão de ficar pronto no próximo mês. Este trabalho, qual foi divulgado em O Imparcial no chamamento para as inscrições consiste no convite às mulheres da cidade e região para a publicação de poemas, textos poéticos e/ou ilustrações em formato fanzine.

“Foram selecionadas oito e duas convidadas. A previsão é de imprimir as zines no início de fevereiro”, menciona a autora.

 

Talita Galindo

Talita Galindo é nascida em Caiabu, mas escolheu Prudente como seu cantinho há 15 anos. Ela é produtora cultural e autora do livro de poemas “Bicho mãe”, publicado em 2021 pela editora 3 Serpentes, através de incentivo da Lei Aldir Blanc. Embora seja formada em Arquitetura e Urbanismo, pela Unesp (Universidade Estadual Paulista) campus de Presidente Prudente, a atuação que faz Talita vibrar é na área cultural e, mais recentemente, como educadora social.

 

Foto: Instagram

A campanha de pré-venda para financiar a publicação da 2ª edição de “Bicho Mãe” é pela plataforma Benfeitoria

 

Foto: Alessandra Fonseca Farias

Talita diz que “a experiência com a primeira edição foi fantástica, graças à colaboração de muita gente”

Veja também