Projeto de investimentos no Pontal é apresentado a lideranças regionais

Conforme o secretário de Desenvolvimento Regional, programa visa aplicar R$ 300 milhões para a atuação em diversos setores, com o foco em melhorar o IDH

REGIÃO - GABRIEL BUOSI

Data 06/02/2021
Horário 13:23
Foto: Gabriel Buosi 
Junto de Bragato e Pilla, Marco Vinholi esteve em Prudente nesta manhã para debater o “Pontal 2030”
Junto de Bragato e Pilla, Marco Vinholi esteve em Prudente nesta manhã para debater o “Pontal 2030”

O secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, esteve hoje em Presidente Prudente, acompanhado do deputado estadual Mauro Bragato (PSDB), e do coordenador do projeto, Marco Pilla, para conversar com lideranças regionais sobre o programa de desenvolvimento do Pontal do Paranapanema, intitulado de “Pontal 2030”, que será lançado oficialmente na terça-feira, no Palácio dos Bandeirantes, às 15h, na capital paulista. De acordo com o titular da pasta, o programa visa o investimento aproximado de R$ 300 milhões, com a atuação em diversos setores, como a economia, o social e o ambiental, com o foco em melhorar, também, o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do oeste paulista.
“Esse programa leva no nome o ano de 2030, pois, além das questões imediatas que iremos resolver, queremos também pensar nos próximos 10 anos da região, com um olhar para o futuro”, aponta o secretário. Vinholi afirma ainda que diversas são as questões que marcam a região do Pontal do Paranapanema, como a agricultura, as situações fundiárias e ambientais, e a presença de assentamentos, sendo que o projeto contemplará todos estes setores. 
“A região virou prioridade e um reflexo disso são nossas reuniões de secretariado do Estado, que temos todas as sextas, de forma que a região de Prudente esteve como pauta em todos os encontros nos últimos dois meses pelo menos”. Para a elaboração do “Pontal 2030”, foram levadas em consideração as demandas de prefeitos da região, que passaram por reuniões preparatórias, bem como foram ouvidas universidades e a sociedade civil. “Queremos potencializar as ações já existentes e criar novas, para valorizar a região”. 

Veja também