Proteínas da saúde: exercício físico é fundamental

Jair Rodrigues Garcia Júnior

Muito se fala das proteínas de boa qualidade de alimentos como ovo, frango, leite e das proteínas dos suplementos nutricionais. Também se fala das proteínas que dão volume aos músculos, principalmente actina e miosina. Mas e as proteínas da saúde?

Proteinas da saúde

Talvez duas das proteínas mais importantes para controlar o metabolismo e manter a saúde são a AMPK e a DICER. A AMPK funciona como um sensor, que é ativado quando diminui o nível de energia disponível na célula, cujas condições são de restrição calórica, jejum prolongado e exercício físico. 

Melhor estrategia

O jejum prolongado (+24h) não é recomendado. O jejum intermitente e a restrição calórica têm se mostrado eficientes para o emagrecimento, a melhora dos parâmetros bioquímicos e para longevidade, desde que planejados e acompanhados por profissionais. Porém, o exercício físico representa a melhor estratégia para ativar a AMPK, pois os músculos se contraem, utilizam o ATP (reserva de energia), provocam déficit de energia.

Quais exercicios fisicos

Exercícios aeróbios (corrida, natação etc) e treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT, funcional e CrossFit) praticados por 6 a 8 semanas  ativam de modo significativo a AMPK nos músculos. São liberadas proteínas miocinas e microRNAs na circulação, que chegam até o tecido adiposo e outros órgãos. 

Efeitos beneficos

No tecido adiposo, um dos efeitos mais significativos é a ativação da enzima DICER, que processa os microRNAs e regula o metabolismo das células. Essa interação de “comunicação cruzada” entre tecidos (e órgãos) torna a liberação e utilização de gordura mais eficiente nas células adiposas, assim como torna o controle do metabolismo mais eficiente, melhora o desempenho dos músculos e melhora a saúde.

Dicer

A ativação da DICER depende de microRNA e miocinas dos músculos, portanto, treinamento é importante. Uma prova é que a injeção de soro retirado de animais treinados em animais sedentários também estimula o aumento da DICER no tecido adiposo. O mesmo acontece in vitro, com soro colocado em células adiposas isoladas. Por outro lado, a obesidade diminui a DICER, prejudica a saúde metabólica, acelera processos degenerativos (ex. diabetes) e reduz a longevidade. O treinamento proporciona o efeito das miocinas dos músculos no aumento da DICER e no melhor controle do metabolismo do tecido adiposo.

Controle metabolico

O treinamento, mesmo de baixa intensidade (caminhada), inicia o processo de adaptação dos músculos, que passam a secretar mais miocinas, porém com efeitos ainda fracos. Para a ativação muscular mais significativa da AMPK, a intensidade e duração do treinamento devem ser progressivas, sempre melhorando a adaptação muscular e o metabolismo do tecido adiposo. 


Exercício físico representa a melhor estratégia para ativar a AMPK.

 

Veja também