Prudente confirma segundo caso de leishmaniose em humano neste ano

Paciente é um senhor de 74 anos, morador do Jardim Itaipu; equipes realizarão manejo ambiental, borrifação e inquérito sorológico no bairro

PRUDENTE - DA REDAÇÃO

Data 09/07/2020
Horário 15:30
Arquivo - Doença é causada pelo mosquito-palha, que se prolifera junto a materiais em decomposição Foto: Arquivo - Doença é causada pelo mosquito-palha, que se prolifera junto a materiais em decomposição

Um mês e um dia após a confirmação do primeiro caso de LVA (Leishmaniose Visceral Americana) em humano em Presidente Prudente, a Prefeitura, por meio da VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal), comunica nesta quinta-feira o segundo registro positivo da doença neste ano. Trata-se de um senhor de 74 anos, morador do Jardim Itaipu.

Após a constatação do caso autóctone, ou seja, contraído na cidade, a VEM informa que já deu início à detecção da área, incluindo preparo das equipes do órgão, bem como do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), para realização do manejo ambiental, borrifação e inquérito sorológico.

O manejo ambiental consiste em orientação aos moradores, em um perímetro de 17 quadras de onde o caso foi confirmado, para que efetuem a retirada de todo material em decomposição, como galhos, folhas e outras matérias orgânicas que possam contribuir para proliferação do mosquito-palha, transmissor da doença.

Durante a orientação, será combinada uma data para que o morador deposite o material na calçada, devidamente ensacado, para que a VEM recolha o mesmo. Posteriormente ao manejo ambiental, será promovida a borrifação, cujo trabalho é agendado previamente, uma vez que é necessário adentrar ao imóvel para borrifar o inseticida na parte interna e externa da residência.

Concomitante aos serviços da VEM, o CCZ promove o inquérito sorológico, cuja ação consiste na coleta de sangue de todos os animais que residem na casa em que houve a confirmação no humano para verificar se eles também têm a doença.

Veja também