Prudente: dos anos 70 aos dias de hoje...

De grandes obras à integração do espaço urbano: a cidade que se desenvolve sob o olhar do povo e cujos personagens históricos muitos ainda vivem para contar a história

PRUDENTE - MARCO VINICIUS ROPELLI

Data 13/09/2020
Horário 07:00
Arquivo - Cartão postal da cidade, nos dias de hoje 
Arquivo - Cartão postal da cidade, nos dias de hoje 

Com o auxílio do historiador Ronaldo Macedo, 70 anos, O Imparcial conta a segunda parte da história sintetizada do município aniversariante, de seu cinquentenário aos dias atuais. 

Década de 70: obras marcantes

Nos anos 70, uma característica muda em Presidente Prudente, o poder sai da mão dos coronéis agrários e cai no colo dos empresários, como Walter Lemes Soares e Paulo Constantino. Também neste contexto, desenvolvem-se indústrias familiares, como a Liane, Funada e Furlanetto.
Algumas das obras mais conhecidas na cidade são realizadas nesta época: Parque do Povo (1976), calçadão (1979), Viaduto Tannel Abbud, Prudentão, PUM (Parque de Uso Múltiplo), Centro Olímpico e urbanização do Balneário da Amizade. A expansão urbana, nesta época, faz surgir bairros como Cohab e Cecap.
No âmbito da cultura, é criado o Museu Municipal (1976), é instalada a Apec (Associação Prudentina de Educação e Cultura), atual mantenedora da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista) e Imespp (Instituto Municipal de Ensino Superior de Presidente Prudente)

Década de 80: telecomunicações

Chegam a Prudente as TVs via satélite, SBT, Cultura, Globo, Record, Bandeirantes e Manchete, TV a cabo, por meio de uma iniciativa pioneira de Raul Fajardo Mello, e a primeira emissora e retransmissora local, a TV Bandeirantes Presidente Prudente (1982).
Nesta década, se intensifica a verticalização das edificações e ocorre a construção de habitações populares, devido ao aumento populacional. Também ocorrem expansão e modernização do comércio, com a implantação de grandes redes e o primeiro shopping (Americanas Strip Center). No âmbito da educação, há o início da municipalização do ensino fundamental, com o prefeito Virgílio Tiezzi.

Década de 90: antagonistas no poder

Agripino Lima e Mauro Bragato passam pela cadeira da Prefeitura nesta década. As atividades comerciais, financeiras e administrativas fixam no centro, e surgem outras centralidades (Prudenshopping e Americanas), portanto, ocorre alteração e modernização do sistema viário e valorização imobiliária. É criado, também, o shopping popular, Camelódromo de Presidente Prudente, na Praça da Bandeira.
Na questão urbanística, são criados grandes conjuntos habitacionais, o Ana Jacinta e o bairro Mário Amato. Na saúde, há construção e início das atividades do HU (Hospital Universitário) da Unoeste, hoje, o HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo de Presidente Prudente. Na educação, expande-se a rede municipal com projetos nos bairros Jardim Planaltina, Jardim Everest, Ana Jacinta, e Parque Cedral. No lazer, ocorre a implantação da Cidade da Criança
Em 1994, surge uma nova iniciativa de TV local: TV Pontal Paulista (Rede Manchete), que com o fechamento da Manchete, tornou-se parceira da Rede Globo e foi chamada, finalmente, de TV Fronteira

Anos 2000: além-linha 

Projetos que expandiram acesso a bairros à leste da linha férrea (Avenida Manoel Goulart e Rua Mendes de Moraes) e que procurou desenvolver aquelas áreas se destacaram na primeira década do novo milênio. O Centro Cultural Matarazzo, que veio acompanhado da modernização e regularização do sistema viário, valorização imobiliária e expulsão da criminalidade da antiga área degradada; a revitalização do IBC Centro de Eventos (Instituto Brasileiro do Café).
Destacam-se também a ampliação do Prudentão para jogos da Divisão Especial; construção de galeria no fundo de vale do Córrego do Veado, Parque do Povo, o que ocasiona até os dias de hoje problemas de escoamentos e rupturas; projetos de desfavelamento dos bairros Conjunto Habitacional Jardim Humberto Salvador e Conjunto Habitacional Augusto de Paula.
Algumas polêmicas também marcaram os anos 2000, como destombamento da Catedral de São Sebastião pelo poder público, intervenções na Praça Monsenhor Sarrion e afastamento do prefeito Agripino Lima por improbidade administrativa. 

Últimos 10 anos: centenário

Deste tempo recente, pouco se pode falar, pois a maioria dos olhos viu a história acontecer em sua frente. Os leitores devem se lembrar da tentativa de criar uma equipe profissional de futebol para a Divisão Especial, o Grêmio Prudente, as obras de modernização do Centro Olímpico, o fortalecimento do comércio na área de alimentação e abastecimento com hipermercados e atacados, e, especialmente, as comemorações de 100 anos do município. 
Muitos fatos ainda estão inacabados e precisarão ser contados como parte da próxima década, como é o caso da recuperação da Praça da Bandeira e reestruturação do camelódromo, que entre 2019 e 2020 causou polêmica, ou o enfrentamento da pandemia no município. Enquanto isso, este diário segue contando um pouco da história a cada dia. 

Foto 848 – Grupo Fotos Históricas e Boas lembranças de Presidente Prudente

Vista aérea da construção do Parque do Povo, durante gestão de Paulo Constantino

Foto – Acervo Museu e Arquivo Histórico prefeito Antônio Sandoval Netto

Antigo matadouro, onde na década de 70 passou a existir o Museu Municipal 

Arquivo

Museu e Arquivo Histórico Prefeito Antonio Sandoval Netto no momento passa por reformas

Veja também