Prudentino realiza trabalho missionário com tribos indígenas

Professor Odair Carlos Biscola, 57 anos, promove, há cinco anos, uma missão no Paraguai que tem o intuito de levar roupas, calçados e serviços médicos aos grupos Guaranis existentes no local

VARIEDADES - THIAGO MORELLO

Data 10/03/2020
Horário 05:04
Cedida/ Odair Carlos Biscola - Odair: alegria em conhecer novas experiências e uma cultura diferente Foto: Cedida/ Odair Carlos Biscola - Odair: alegria em conhecer novas experiências e uma cultura diferente

Há cinco anos, o professor prudentino Odair Carlos Biscola, 57 anos, realiza uma campanha para arrecadar roupas, calçados usados, brinquedos, pequenos utensílios e tudo aquilo que recebe de bom grado, com um único propósito: trabalho missionário com tribos indígenas do Paraguai. A cada seis meses, ele comparece nas cidades de Yby Yau e Arroyito, a fim de promover a solidariedade com grupos Guaranis existentes por lá. Em parceria com as prefeituras das respectivas cidades, juntos, eles prestam ainda um serviço de atendimento médico e odontológico. Mas de acordo com ele, por mais que a ajuda chegue a quem precisa chegar, no final de tudo, junto da felicidade em apoiar a humanidade, resta a alegria de conhecer novas experiências, pessoas e uma cultura diferente da dele.

Nessa meia década de trabalho e de “uma experiência única”, como descrito por ele, já foram encaminhadas cerca de 20 mil peças, seja de roupas ou de calçados, aos grupos indígenas que são civilizados, como é bom ser ressaltado. Porque vale frisar que existem tribos não civilizadas que vivem de forma mais reclusa - por escolha própria -, não têm muito contato com outras comunidades e se atêm ao uso de vestes compatíveis com a cultura ou nenhuma veste.

Mas voltando à missão solidária, Odair gosta e faz questão de contar como tudo começou. À reportagem, ele detalha que sempre teve amizade com alguns prefeitos das cidades paraguaias e, numa das visitas ao país, viu alguns índios andando pelo local. “Daí, eu que sempre fui interessado na cultura indígena, fui me inteirar de saber como era a condição de vida deles. Foi quando eu conheci uma situação muito difícil, precária, que eles passam por lá”, completa.

E foi daí que ele sentiu a necessidade de ajudar e iniciar uma “missão”. Como um marinheiro de primeira viagem, entrou em contato com alguns grupos religiosos que já faziam campanha de arrecadação e começou a juntar “as primeiras mochilas”, como ele mesmo descreve. “Conversei com os prefeitos e eles decidiram acolher a ideia, ajudando a bancar as despesas com a viagem. E aí começou. Virou uma ação muito grande”, comemora o missionário.

Com essa rotina, a cada seis meses, nas férias, ele se encarrega de levar o montante arrecadado. E na situação, duas tribos são auxiliadas por vez. “Fico uma semana de férias e vou. Já teve a oportunidade de levarmos até quase 7 mil peças que arrecadamos [de uma vez só], o que rendeu aí umas 35 bolsas com 200 peças em cada”, pontua. No total, Odair relata ainda que são 16 tribos que recebem ajuda, sendo nove em Yby Yau e sete em Arroyito.

Cidades essas, digamos assim, que ele pode andar livremente. Por conta do trabalho missionário, Odair recebeu o título de cidadão honorário de Yby Yau e Arroyito. “Foi e é uma alegria. Porque além de ajudar, eu ainda tive a chance de conhecer danças típicas, aprender sobre remédios naturais, entender sobre o mundo e a origem deles, enfim, conhecer mais a cultura. Uma experiência incrível”, finaliza.

SERVIÇO
Para você que gostaria de ajudar com o trabalho, basta entrar em contato com o Odair. A conversa pode ser iniciada via WhatsApp, pelo (18) 99751-1162. O número é exclusivo para mensagens e não recebe ligações. Numa segunda opção, há também o e-mail odcarlos2009@hotmail.com.

Foto: Cedida/ Odair Carlos Biscola

Ao todo, 16 tribos são auxiliadas, sendo duas a cada viagem para o local

 

Veja também