Radiodocumentário aborda vida e obra de Laerte Silva 

Trabalho - peça prática do TCC de estudantes de Jornalismo da Unoeste - foi conduzido por Homero Ferreira, e evidencia a trajetória deste ícone da comunicação

VARIEDADES - CAIO GERVAZONI

Data 19/11/2021
Horário 08:00
Foto: Marlene Reverte
Laerte Silva, ladeado pelos alunos Daniel Santana, Juan Gonçalves e Paulo Gomes, e pelo professor Homero Ferreira
Laerte Silva, ladeado pelos alunos Daniel Santana, Juan Gonçalves e Paulo Gomes, e pelo professor Homero Ferreira

Como parte prática do TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), os graduandos em Jornalismo pela Escola de Comunicação e Estratégias Digitais da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista), Daniel Santana, Juan Gonçalves e Paulo Gomes, realizaram, sob a orientação do professor Homero Ferreira, um radiodocumentário sobre Laerte Silva, considerado um ícone da comunicação em Presidente Prudente e região. Radialista, repórter policial, investigador, comunicador sertanejo, político, puxador de samba enredo são algumas das várias funções expressivas de Laerte Silva, que se mantém na ativa, há 55 anos, na Rádio Comercial.  
A ideia de produzir um radiodocumentário sobre a vida e obra de Laerte Silva partiu do estudante e cinegrafista, Daniel Santana, que trabalhou com o comunicador entre 1997 e 1999 em uma emissora de TV a cabo em Prudente. “Foi o início dele na TV, porque ele só fazia rádio até então, depois disso ele foi para TV Band e eu para outra emissora”. Para Daniel, o projeto não visa homenagear Laerte Silva, pois o comunicador continua na ativa, “mas sim dar evidência ao trabalho que ele realiza desde os anos 50 na mesma rádio, com sua voz marcante e a maioria dos prudentinos sabe quem ele é”, relata. 
Quando a ideia foi semeada pelo grupo ainda no ano passado, Daniel conta que o radialista resistiu de início em participar da obra, mas depois de muita conversa, Laerte Silva topou e “nos deu uma aula de história e como um grande contador de história”. 

Escolha da peça prática

De acordo com o graduando Juan Gonçalves, a escolha do radiodocumentário como peça prática do TCC está associada a parca exploração deste produto na comunicação. “Geralmente, quando se fala em documentário, a primeira ideia que vem na mente é o produto em vídeo, o ‘assistir’. Então, escolhemos o radiodocumentário porque gostaríamos de trazer algo diferente para as pessoas, que mesmo não tendo o visual, mas que pudesse chamar a atenção dos ouvintes”. 
Responsável pelo script da obra, Juan relata que redigir esta etapa foi a parte mais complicada. “Era o momento de organizar a vida dele, selecionar as partes importantes e também de juntar todas as informações de outros entrevistados. Depois partimos para a edição do produto, que foi o processo final”. A edição eletrônica do projeto teve a contribuição do jornalista e radialista, Adriano Batista.

O orientador do grupo na produção

Professor, radialista e jornalista, Homero Ferreira foi o orientador do grupo na produção do radiodocumentário sobre a vida e obra de Laerte Silva. “Quando a TCC chegou para minha orientação, foi uma alegria por conhecer o personagem há tantos anos, por gostar dele como pessoa e admirar o seu trabalho”. 
Homero narra que a convivência com Laerte vem dos tempos em que ambos cobriam os jogos do saudoso Corinthians de Presidente Prudente pela segunda divisão do Campeonato Paulista na década de 80. “Dentre as várias funções no rádio, fomos repórteres em emissoras diferentes; e depois, respectivamente, ele como comentarista e eu como narrador”, descreve. 
Para o professor Homero, o período mais agudo da pandemia, no ano passado e no início de 2021, gerou dificuldades para a produção da peça prática, mas o grupo, orientador e entrevistados tiveram os cuidados adequados de biossegurança para executar o projeto. “Passamos pelo período mais grave da pandemia e foram vários os cuidados de biossegurança para produzir integralmente a primeira etapa do TCC, no primeiro semestre deste ano; o que também ainda foi intenso em parte do segundo semestre, mas com cautela até o presente momento”. 
Homero discorre que as dificuldades, ao longo de um ano e meio de produção, foram sendo superadas para resultar em um bom trabalho e destaca o trabalho realizado pelas docentes Maria Luísa Hoffmann e Fabiana Aline Alves. “O pontapé inicial, em critérios técnicos-científicos, foi com a professora Maria Luísa Hoffmann e nas bancas de qualificação recebeu também as suas contribuições e ainda da professora Fabiana Aline Alves”. 
Por fim, o professor comenta que o radiodocumentário conta uma história a partir do ponto de vista dos documentaristas, sem se prender à narrativa objetiva de um programa de reportagem. “O produto apresenta o viés de alguém de bem com a vida, que canta e que tem bom humor, apesar de tantos anos vivendo o ‘mundo cão’ como repórter policial, além de ter sido investigador de polícia que vivenciou fatos horríveis, como a morte de um seu colega carcereiro enrolado em colchões nos quais presos rebelados tocaram fogo, no pátio do antigo Cadeião da Gurgel, que hoje é a Delegacia Participativa no centro de Prudente”, pontua. 

O comunicador Laerte Silva

Contemplado pelo grupo de estudantes com a obra, por seu trabalho na comunicação de Prudente e região, o comunicador Laerte Silva, natural de Presidente Venceslau, relata que se sente lisonjeado com o radiodocumentário que conta sua história. “Estou feliz com este trabalho realizado por esta equipe. Vão ficar sabendo de tudo que fiz aqui nesta cidade. Setenta e três anos morando em Prudente, 55 anos de rádio e 35 de polícia, já lecionei, já fiz arte, teatro e música e os meninos da faculdade me escolheram pra realizar este trabalho final. Vai ficar para a posteridade”, relata o comunicador. 

SERVIÇO
Você pode escutar a peça prática dos alunos Daniel Santana, Juan Gonçalves e Paulo Gomes sobre o comunicador Laerte Silva por meio do link de www.unoeste.br/radioescola/documentarios/radiodocumentario-laerte-silva-o-icone-nos-microfones-em-presidente-prudente_723. Com acesso pela conta da Rádio Escola de Comunicação no Facebook , o ouvinte tem como expressar a sua opinião sobre o obra: www.facebook.com/radiolabunoeste.


 

Veja também