Região encerra fevereiro com saldo de 492 vagas

Números foram divulgados ontem pelo Caged e apresentam a situação de 22 municípios da região de Prudente no mês passado

REGIÃO - GABRIEL BUOSI

Data 24/03/2018
Horário 10:17
Arquivo | Apesar de o comércio ter tido o pior desempenho na região, Acipp acredita em melhoras no setor Foto: Arquivo | Apesar de o comércio ter tido o pior desempenho na região, Acipp acredita em melhoras no setor

Foram divulgados ontem pelo Ministério do Trabalho, os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) de fevereiro e que apresentam a situação de admissões, demissões e saldos de vagas de emprego na região de Presidente Prudente. Conforme os números disponíveis de 22 cidades no Portal MTE Emprego, os municípios encerraram o período com saldo de 492 vagas, sendo que apresentaram 4.875 admissões, contra 4.383 demissões. No mês passado, foram duas as cidades que se destacaram no saldo final, sendo Presidente Prudente pelo valor negativo de 89 vagas e Mirante do Paranapanema com saldo positivo de 146.

Ainda conforme os dados disponibilizados pelo Portal MTE Emprego, o acumulado do ano ficou com o saldo de 729 vagas, uma vez que foram 9.407 admissões, contra 8.678 desligamentos. Dentre os setores analisados estão o de Serviços, que apresentou o melhor saldo com 583 vagas, seguido de Agropecuária, com 169 vagas e Indústria de Transformação, com saldo de oito vagas. Já nos desempenhos negativos, estão os setores de Comércio, com 263 vagas e Construção Civil, com saldo final de 65 vagas no mês.

Para o consultor do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Eliezer Sales Ramos, o aquecimento no setor de Serviços pode estar ligado à reação econômica vivida pelo país. “Não podemos generalizar, mas esse é o ramo que sofre com os resultados da economia mais rapidamente e também o que mais demora em se recuperar. No entanto, vimos a reação do mercado, o que pode estar atrelado aos números favoráveis”.

Já o diretor regional do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), Wadir Olivetti Júnior, afirma que o saldo de oito vagas em fevereiro poderia ter sido melhor, mas lembra que os números devem ser vistos como positivos. “Sabemos que a economia está aquecida e, por isso, acreditávamos que o setor estaria na mesma linha e com a geração de novos empregos. No entanto, não podemos desprezar o valor favorável, que mostra uma melhora no setor”, explica.

O presidente da Acipp (Associação Comercial e Industrial de Presidente Prudente), Ricardo Anderson Ribeiro, diz que os dados do setor de Comércio, que teve o pior desempenho daqueles avaliados, pode estar ligado à melhora nas indústrias, que, no momento, ainda não impactaram nos comerciantes, além de comentar sobre as novas legislações trabalhistas e que estão diretamente ligadas. “No fim do ano, houve muitas demissões, como a dos temporários. Os empresários estão cada vez com os custos mais elevados e com dificuldade em manter as portas abertas. Com isso, optam por colocar em prática a nova legislação e que permite o serviço temporário, como os free lancers, deixando de lado, assim, o sistema tradicional e isso impacta nos números”.

A estratégia, para o presidente, traz fatores positivos aos comerciantes, que vão conseguir manter os negócios, mas negativos para alguns trabalhadores, que vão depender de serviços esporádicos na fase de adaptação. A tendência, no entanto, conforme Ricardo, é de melhoras no setor para os próximos meses.

 

No Brasil

Conforme números divulgados pelo Ministério do Trabalho, o mês de fevereiro registrou a abertura de 61.188 novos postos de trabalho no Brasil, o que representa um aumento de 0,16% em relação ao estoque de janeiro. Este é o melhor resultado para o mês desde 2016 e o segundo resultado positivo do ano na criação de vagas, decorrente de 1.274.965 admissões e 1.213.777 desligamentos.

Cinco dos oito principais setores econômicos tiveram saldo positivo, sendo que o principal deles foi o de Serviços, com a criação de 65.920 novos postos de trabalho, crescimento de 0,39% sobre o mês anterior.  A Indústria de Transformação ficou em segundo lugar com melhores resultados (+17.363 postos), com um acréscimo de 0,24% sobre janeiro. Apenas três setores apresentaram saldos negativos: Comércio (-25.247 postos), Agropecuária (-3.738 postos) e Construção Civil (-3.607 postos).

 

Caged de Fevereiro na região

  FEVEREIRO/2018 TOTAL DO ANO
MUNICÍPIO TOTAL ADMIS. TOTAL DESLIG. SALDO TOTAL ADMIS. TOTAL DESLIG. SALDO
ADAMANTINA 371 262 109 602 479 123
DRACENA 278 292 -14 569 550 19
EUCLIDES DA CUNHA PAULISTA 5 4 1 13 21 -8
FLORIDA PAULISTA 53 33 20 158 80 78
JUNQUEIROPOLIS 86 79 7 190 188 2
LUCELIA 345 307 38 750 547 203
MARTINOPOLIS 131 45 86 246 93 153
MIRANTE DO PARANAPANEMA 176 30 146 237 116 121
OSVALDO CRUZ 168 187 -19 329 362 -33
PACAEMBU 33 21 12 50 38 12
PANORAMA 93 90 3 167 184 -17
PIRAPOZINHO 147 99 48 287 257 30
PRESIDENTE BERNARDES 87 60 27 126 114 12
PRESIDENTE EPITACIO 185 142 43 325 276 49
PRESIDENTE PRUDENTE 1.926 2.015 -89 3.816 3.963 -147
PRESIDENTE VENCESLAU 145 139 6 273 352 -79
RANCHARIA 195 237 -42 462 417 45
REGENTE FEIJO 147 105 42 296 204 92
ROSANA 43 40 3 73 85 -12
SANTO ANASTACIO 87 92 -5 152 159 -7
TEODORO SAMPAIO 110 52 58 173 84 89
TUPI PAULISTA 64 52 12 113 109 4
TOTAL 4.875 4.383 492 9.407 8.678 729
Fonte: Ministério do Trabalho

Veja também