Região fecha janeiro com saldo de 10 contratações

Setor de móveis e produtos de minerais não metálicos são os principais com variação positiva; empresas relatam estabilidade

REGIÃO - THIAGO MORELLO

Data 20/02/2018
Horário 13:23
José Reis, Com o segundo melhor desempenho, o setor de móveis apresentou uma variação de 1,42%
José Reis, Com o segundo melhor desempenho, o setor de móveis apresentou uma variação de 1,42%

A Diretoria Regional do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), cuja sede é em Presidente Prudente, começou o ano positivamente em relação ao nível de emprego, uma vez que o saldo do mês de janeiro foi de aproximadamente dez novos postos de trabalhos, entre contratações e demissões. Os dados foram divulgados ontem, pelo Depecon (Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos) da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e Ciesp. Isso mostra uma variação de 0,02%, e um avanço em relação ao mês anterior, em dezembro de 2017, cujo saldo final foi de -0,97%, quando as empresas mais fecharam portas do que abriram. Para ser mais exato, foram cerca de 400 demissões. A diretoria leva em conta 65 municípios da região, incluindo os 53 da 10ª RA (Região Administrativa) do Estado de São Paulo.

Por mais que pareça um número baixo, o diretor-regional do Ciesp, Wadir Oliveti, considera que fechar o começo do ano positivamente “já é um milagre”. Normalmente, o mês de janeiro é marcado por demissões e não costuma ter contratações, ainda de acordo com o ele. Desta forma, isso mostra um reflexo positivo. “A gente fica contente, e espera que seja o início de uma retomada no entorno, nas cidades da região. Se um setor é beneficiado, como por exemplo, o comércio, os demais segmentos também são atingidos”, completa.

Para Wadir, o que pode ter motivado essa situação é a estabilidade econômica que foi possível ser vista no final de 2017. “E isso significa que as indústrias estão melhorando, o que tem tudo para gerar desenvolvimento”, pontua. A tendência é que de fevereiro a abril, e daí em diante, volte a crescer, salienta o diretor-regional.

E de acordo com a Fiesp/Ciesp, o que influenciou para o saldo positivo foram as variações dos setores de produtos minerais não metálicos e móveis, sucessivamente. No primeiro deles, a variação ficou em 6,67%. Contudo, para quem trabalha no ramo, o primeiro mês do ano não mostrou um saldo bom, porém, nem negativo. “Estagnado. Nem contratação, nem demissão. Mas isso não deixa de ser algo positivo”, argumenta o analista de Recursos Humanos da Salioni Areia e Pedra, João Aparecido da Silva.

Com o segundo melhor desempenho, o setor de móveis apresentou uma variação de 1,42%. Mas assim como na Salioni, apesar de áreas diferentes, na Faita Móveis Planejados a situação descrita pelo estabelecimento também é de estabilidade. Segundo o designer de interiores da loja, Felipe Faita, não mudou nada, já que não abriram portas. “Porém, já é algo a ser comemorado, uma vez que dezembro de 2017 foi muito ruim na movimentação, o que poderia influenciar na demissão de cargos”, lembra.

Mas não influenciou. Mesmo não gerando postos de trabalho, Felipe garante que também não demitiram. “Não está tão positivo quanto aparenta, mas começamos o ano bem, em vista de dezembro”. Questionado sobre a melhor época do ano para vendas, que, consequentemente pode mobilizar contratações, ele alega que entre os meses de agosto a outubro é o período de mais movimentação, pois “as pessoas interessadas em abrir uma loja e programar a casa, por exemplo, já antecipam os gastos, em vista das festas de final de ano”, finaliza.

 

SAIBA MAIS

No acumulado dos últimos 12 meses, a variação está em -3,33%, o equivalente ao saldo de 1.350 postos de trabalho fechados. No acumulado do ano passado, ou seja, os últimos 12 meses anteriores, a queda foi de cerca de 1,4 mil postos de trabalho, com uma variação negativa de 3,47%.

 

NÚMEROS

0,02%

Variação do mês de janeiro entre os setores

10

É o saldo de novos postos de trabalho

6,67%

Variação do melhor setor, produtos minerais não metálicos

-1.350

Saldo do nível de emprego nos últimos 12 meses

Veja também