Rosa dos Ventos rifa artesanato criado pelo palhaço Dez prás Sete

Fernando Ávila, que dá vida ao personagem, reaproveita todo lixo reciclável que encontra pela frente, nas ruas, calçadas, terrenos baldios e caçambas

VARIEDADES - OSLAINE SILVA

Data 19/08/2020
Horário 08:46
Cedida/Mariane Palhares - Caçambeiro nato e com habilidades manuais, palhaço Dez prás Sete faz de tudo com o lixo
Cedida/Mariane Palhares - Caçambeiro nato e com habilidades manuais, palhaço Dez prás Sete faz de tudo com o lixo

Como sempre dando um jeitinho cá outro acolá, os artistas se reinventam, se viram nos 30 para driblar as crises que chegam sem avisar. E para contribuir nesse momento delicado que todos atravessam, o Grupo Rosa dos Ventos, de Presidente Prudente, está rifando uma caixinha de madeira confeccionada pelo palhaço Dez prás sete, personagem de Fernando Ávila, um caçambeiro nato que reaproveita todo lixo reciclável que encontra pela frente descartado nas ruas, calçadas, terrenos baldios e caçambas. Cada número custa R$ 10.
Quem adquirir a rifa deve enviar o comprovante para circoteatrorosadosventos@gmail.com ou para o WhatsApp (18) 99742-5994 para confirmar. O sorteio será feito ao vivo nas páginas do Facebook e Instagram do @Grupo Rosa dos Ventos, nesta quinta-feira, às 19h. O ganhador, de qualquer localidade, a receberá via correio.
De acordo com Tiago Munhoz, um dos integrantes do grupo, “a linda caixinha” foi feita exatamente com restos de madeira que o Dez prás Sete encontrou pelas ruas da cidade. “É um artesanato incrível, trabalhado com todo o seu conhecimento de caçambeiro nato e com suas habilidades manuais adquiridas pelo sangue dos antigos Ávilas do Barretos antigo”, relata. 

“OS GASTOS COM A EMPRESA, CNPJ E TUDO MAIS NÃO PARAM, O QUE PAROU FORAM OS TRABALHOS E, POR CONSEQUÊNCIA, AS ATIVIDADES QUE GERAVAM RENDA PARA O GRUPO. A MÉDIA EM UM ANO ERA DE 80 APRESENTAÇÕES, ESSE ANO NÃO CHEGAMOS A 20”
Tiago Munhoz

Fernando é Natural de Barretos (SP). “Ele diz que é francês, mas por acaso nasceu em Barretos. A família dele tem tradição de artistas que trabalhavam com madeira, seu pai José Roque de Ávila [Zé Roque] é um artista incrível, talha madeira, pedra sabão. Faz diversos trabalhos de arte. Seu avô, Roque de Ávila, foi também um grande artista, referência da cidade. Fernando está começando seus passos nessa área da arte”, desataca Tiago.

"Vai que usa, né?"

Fernando Ávila, o palhaço Dez prás Sete, ganhou esse pseudônimo lá no início do Grupo Rosa dos Ventos em 1999, quando viviam na moradia da Unesp (Universidade Estadual Paulista) e a repetir o bordão imitando ele soou tão bem que acabou sendo uma cerimônia de batismo. Assim  ficou Dez prás Sete.
Tiago explica que o intitulam caçambeiro nato porque ele anda literalmente pelas ruas olhando todas as caçambas e objetos descartados nas calçadas. “Ele recolhe tudo aquilo que acha que pode ressignificar, reaproveitar, transformar em algo. Faz móveis, objetos, camas, estantes, sapateiras e distribui para os amigos. Mas a gente sofre junto porque ele tem um lugar que chamamos de ‘vai que usa’ e tem tanta coisa que a gente sabe que ele não vai usar de jeito nenhum [gargalha]”, brinca o amigo.
Mas, conforme ressalta, toda vez que o palhaço Dez prás Sete faz qualquer objeto e os presenteia, ele joga na cara de cada um “que aquela matéria-prima foi encontrada no lixo e que por isso temos que manter o vai que usa né? [risos e mais risos]”, se diverte Tiago.

Como tem sido o momento atual

Tiago enfatiza que o momento tem sido muito difícil por conta dessa pandemia. Que estão batalhando bastante em todo o processo da Lei de Emergência Cultural, Aldir Blanc, que pode ser uma esperança de estruturação para o setor artístico. O Grupo Rosa dos Ventos teve 17 apresentações canceladas. 
Segundo ele, deveriam ter feito muito mais ao longo dessa metade do ano que passou, o impacto é muito sério. “Os gastos com a empresa, CNPJ e tudo mais não param, o que parou foram os trabalhos e, por consequência, as atividades que geravam renda para o grupo. A média em um ano era de 80 apresentações, esse ano não chegamos a 20”, expõe Tiago 
Ele comenta que fizeram poucos trabalhos de live, mas estão bastante envolvidos com vídeo, participaram de uma formação proposta pelo Sesc (Serviço Social do Comércio). “Poucas coisas, mas no caminho de uma redescoberta para as ações da arte, principalmente para a arte de rua que é a nossa área, o lugar que gostamos de estar”, enfatiza o artista.

SERVIÇO
Ao adquirir a rifa, o comprovante deve ser enviado para circoteatrorosadosventos@gmail.com ou para o WhatsApp (18) 99742-5994. O sorteio será feito ao vivo nas páginas do Facebook e Instagram do @Grupo Rosa dos Ventos, amanhã, às 19h.

 


 

Veja também