Sábios para o essencial

OPINIÃO - Sandro Rogério dos Santos

Data 23/08/2020
Horário 05:00

Atingir a verdadeira sabedoria tem sido (e é) um esforço constante do homem, seja o governante, seja o crente autêntico. Salomão é o protótipo perfeito de homem sábio e monarca que, no início de seu reinado, pediu a Deus discernimento para ouvir e governar: “eu não passo de um adolescente, que não sabe ainda como governar. Além disso, teu servo está no meio do teu povo eleito, povo tão numeroso que não se pode contar ou calcular. Dá, pois, ao teu servo, um coração compreensivo, capaz de governar o teu povo e de discernir entre o bem e o mal” (cf. 1 Reis 3,5.7-12). A fama de Salomão se espalhou de tal maneira que todos queriam se aproximar dele para verificar a sabedoria que Deus colocara em seu coração, dando-lhe autoridade em questões sociais, em problemas políticos e no vasto campo filosófico e teológico.

A sabedoria é discernimento no julgamento, uma distinção clara entre o bem e o mal. Em um mundo como hoje, com tantas confusões ideológicas e obscuridade de critérios, torna-se urgente e quase essencial alcançar a sabedoria certa, superando necessidades fáceis que levam a uma vida sem esforço. A sabedoria que vem do Espírito Santo, e que é fruto dos ensinamentos do evangelho, torna o coração dócil e inteligente. Assim, o crente atinge maturidade humana e estatura espiritual, liberdade de decisão e inteligência crítica para descobrir valores desatualizados.

Valho-me da liturgia do décimo sétimo domingo comum, celebrada há quatro semanas. As duas primeiras breves parábolas do evangelho sobre o tesouro escondido e a pérola de grande valor (cf. Mateus 13,44-52) referem-se ao que na opinião popular é considerado o mais desejável e precioso; para consegui-lo se devem sacrificar todas as outras coisas com prontidão e habilidade financeira. Descobrir um fabuloso tesouro escondido é encontrar o Reino de Deus, que é oferecido a nós como uma ocasião única. Para não o perder, se necessário, todos os meios e possibilidades à nossa disposição devem ser utilizados. A sabedoria proposta por Jesus é a de poder subordinar todo o novo tesouro descoberto pela fé, que supera todo bem efêmero e torna o resto supérfluo.

O esforço de escolher o essencial não decepciona e provoca grande alegria. Optar pelo Reino de Deus requer inteligência e não apenas coragem; implica ter a simplicidade da pomba e a astúcia da serpente. Os verdadeiros sábios são aqueles que no final são salvos pelo julgamento divino, não pelos esquemas humanos. Quiçá os governantes, sejam os dos povos, sejam os de si mesmos, tenham a sabedoria (inteligência e iluminação) necessária para as boas escolhas da vida.

Seja bom o seu dia e abençoada a sua vida. Pax!!!

Veja também