Salve-se Quem Puder!

Sandro Villar

O Espadachim, um cronista livre para todos os públicos, ao contrário de certos programas de televisão que, pela ruindade, deveriam ser proibidos.

CRÔNICA - Sandro Villar

Data 07/03/2021
Horário 07:00

As novas mutações do coronavírus, surgidas no Brasil, preocupam o mundo, segundo o jornal Washington Post. A coisa está feia, como diz a letra do pagode cantado pela lendária dupla Tião Carreiro & Pardinho, numa canção de autoria do meu saudoso amigo Lourival dos Santos.
As projeções sobre a pandemia, para as próximas semanas, são terríveis para o Brasil, que não fez direito a lição de casa. Por que o governo não comprou as 70 milhões de doses da vacina da Pfizer, que a farmacêutica quis nos vender em setembro do ano passado? 
Se tivesse adquirido o lote do imunizante, a tragédia, hoje com mais de 260 mil mortes, não teria chegado ao ponto que chegou. Vai ver era só uma gripezinha, uma "frescura", como se disse recentemente.
Tem gente enlouquecendo por causa da Covid-19. Isso não é exagero de cronista. Ao saber que estava contaminado, um sujeito saiu às ruas de Iraí, no Rio Grande do Sul, e começou a cuspir nas mãos. Depois, ele passava a saliva nas maçanetas das portas e vidros dos carros. 
Também "tacou" saliva em outros locais para infectar o maior número possível de moradores da pequena cidade. Loucura total.
Uma mulher também surtou em Mariápolis, no oeste paulista, após ser diagnosticada com a doença. Ela simplesmente saiu às ruas completamente pelada. Ao voltar para casa na periferia, a pobre senhora destruiu quase tudo que estava na residência.
Alguém nu na rua, seja homem ou mulher, pode até ter um quê de humor, mas, no caso em questão, é drama e não comédia. 
Há assuntos que entram no noticiário e demoram para sair. É o caso da pandemia de Covid-19. Como é óbvio, as palavras coronavírus, Covid-19, isolamento social, grupo de risco e outras relacionadas à pandemia ainda vão continuar por muito tempo frequentando as páginas dos jornais, os telejornais e os noticiários das rádios. Salve-se quem puder ou chamem o general Pazuello, para ele dar um tiro de canhão no vírus. 

DROPS

Bons tempos aqueles do 007. Hoje temos o 01, 02, 03 e 04.

Erradicação da pobreza extrema. Na China.

Casamento: o que Deus uniu o ronco não separe.

Um dia vai ser o deles, mas hoje é só o nosso.
(cantor Falcão, ex-Rappa)

Veja também