Seleção brasileira de atletismo é barrada no Peru

Três prudentinos integram a equipe, que foi uma das convidadas a participar do 52º Campeonato Sul-Americano de Atletismo Sub 20, em Lima

Esportes - OSLAINE SILVA

Data 12/07/2021
Horário 15:48
Foto: Cedida / Cremilson Julião Rodrigues
Delegação enquanto aguarda toda a burocracia
Delegação enquanto aguarda toda a burocracia

Transtornos na ida e na volta. Isso foi o que a seleção brasileira de atletismo sub-20 precisou superar e enfrentar, antes e depois, respectivamente, das competições do 52º Campeonato Sul-Americano de Atletismo Sub 20, em Lima, no Peru. Dentre os atletas e comissão técnica, estavam o treinador do atletismo da APA-SP/Semepp/Talento Olímpico de Presidente Prudente, Cremilson Julião Rodrigues, o Montanha, e os atletas Gabriel Luiz Boza, 18 anos (salto em distância), e Eron Maciel de Araújo, 16 (salto em altura). Na manhã de hoje, as bagagens já estavam no avião, check-in feitos e a imigração peruana não os deixou embarcar para retornarem ao Brasil
O técnico prudentino enviou à reportagem um comunicado do presidente do CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), Wlamir Motta Campos, aos seus atletas. Em sua fala, ele classificou a ação da imigração peruana como “absurda”, uma vez que a delegação entrou no Peru com um “visto especial” para disputar o Sul-Americano, e na volta exigiram um visto individual. Confira na íntegra:
“Entramos no Peru com o ‘visto especial’ para toda a delegação, procedimento esse que é o mesmo feito com os times de futebol que jogam a Sul-Americana. Necessário destacar ainda que fomos convidados pelos organizadores para estarmos no Sul-Americano, todos os trâmites foram feitos exatamente conforme nos foi exigido. Recebemos a autorização para entrar no país e por essa razão entramos sem nenhum problema. Enfim, esse problema migratório foi resolvido, ainda ontem no aeroporto recebemos uma carta do Ministério de Relações Exteriores do Peru autorizando o nosso retorno. Porém, como toda essa burocracia levou horas, o nosso voo teve que retornar ao Brasil; ocorre que existe uma regulamentação do tempo em que a tripulação pode trabalhar, necessário destacar que eles ‘vieram do Brasil para nos buscar’. Nesse momento estamos trabalhando junto às autoridades para assegurar uma nova autorização de pouso da Azul em Lima para que possamos regressar ao Brasil. Ainda não temos uma previsão de horário, tão logo tenhamos essa informação eu compartilharei com todos. Fiquem tranquilos quanto aos voos de retorno de Campinas para as suas cidades, a CBAt estará organizando toda a reprogramação desses voos. O importante é que estamos seguros aqui em Videna, bem acomodados, alimentados e contamos também com o apoio e atenção da nossa equipe médica. Peço desculpas pelos transtornos, eles não foram causados por nós, mas pela burocracia e falta de comunicação entre o vários setores do governo do Peru. Estamos contando com total apoio das autoridades brasileiras, o próprio presidente da República [Jair Bolsonaro] está acompanhando a nossa situação, eu estive em contato com ele ontem e com dois ministros, além do secretário Nacional de Esporte. Agradeço a todas e todos pela atenção e compreensão”.
Até a tarde de hoje, a seleção permanecia no Peru. “Entregamos depois do almoço nossos passaportes e RG para quem tem o PAS para preenchimento de documentação junto à imigração... acredito que não conseguiremos retornar hoje”, disse Montanha, por volta das 15h.


 


 

Veja também