Situação dos lojistas permanece estagnada

EDITORIAL - Da Redação

Data 01/08/2020
Horário 04:30

Mais uma data comemorativa do ano se aproxima, o Dia dos Pais. A pouco mais de uma semana para a celebração, o comércio de Presidente Prudente já colocava as expectativas para aumento nas vendas, caso a região avançasse para a fase amarela do Plano São Paulo. Ontem, o anúncio feito pelo Estado mostrou que o DRS-11 (Departamento Regional de Saúde) permanece estagnado na linha laranja, o que faz com que os lojistas continuem trabalhando em horário reduzido.
A quarentena em decorrência do novo coronavírus trouxe desvantagens ao setor econômico, dentre eles aos proprietários de lojas. Desde o início da pandemia, datas comemorativas e que renderiam aumento nas vendas, não trouxeram lucro aos empresários. Com o passar das semanas, o avanço positivo de algumas regiões no Plano São Paulo trouxe a esperança de “dias melhores” para a flexibilização da economia, assim como constatado pela reportagem em alguns estabelecimentos de Prudente.
Na edição de ontem, os lojistas afirmaram que esperavam um avanço para a fase amarela, o que faria com que o setor trabalhasse com horário reduzido de seis horas e capacidade limitada de 40%. Ou seja, à medida em que aumenta o tempo de trabalho, as vendas também crescem. De acordo com o Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista de Presidente Prudente e Região), o aumento no lucro de Dia dos Pais, geralmente de 30%, neste ano ficará entre 5% e 10% - triste realidade, ainda mais para os pequenos empreendedores, que tiveram que fechar as portas. 
Durante a quarentena, observou-se que as lojas apostaram em promoções a fim de zerarem os estoques, mesmo com os lucros reduzidos. A ideia continua sendo vender o máximo que puderem. A medida também pode trazer resultados na próxima semana, não apenas com preços baixos, mas em divulgação na internet e no modelo antigo, “de porta em porta”. Apesar de ser um momento de completo desespero, é importante não perder a cabeça e se concentrar nos negócios, tragicamente castigados pela pandemia. 

Veja também