Sorriso: “Uma experiência que nunca vou esquecer”

Diante de um público de mais de 15 mil pessoas, em Jacksonville, na Flórida, prudentina abriu um card histórico e venceu a chinesa Na Liang, no 2º round, em uma noite de lutas incríveis

Esportes - OSLAINE SILVA

Data 27/04/2021
Horário 04:35
Foto: Cedida
Ariane Sorriso nocauteou Na Liang com 1m28 no segundo round
Ariane Sorriso nocauteou Na Liang com 1m28 no segundo round

A tão esperada vitória chegou. E não foi fácil. De Presidente Prudente para o mundo, a peso-palha Ariane “Sorriso” Carnelossi foi à primeira luta da especial e eletrizante noite do UFC (Ultimate Fighting Championship) 261, em Jacksonville, na Flórida, nos Estados Unidos. Ela chegou a ser derrubada duas vezes pela chinesa Na Liang, mas essa noite era sua! E ela venceu por nocaute técnico a 1m28s no segundo round. Em um retorno com grande público, em uma noite com três cinturões em jogo com grandes feras e três brasileiros na disputa, a reportagem perguntou a Sorriso como foi ouvir todo aquele público. Como foi estar de volta em um card espetacularmente diferenciado e com nocaute!
“Foi simplesmente inacreditável! O que aconteceu no sábado foi muito mais do que um evento de MMA. Foi uma celebração, você sentia que os fãs esperavam por aquele momento. A sensação é que tinham umas 100 mil pessoas no ginásio. Abrir esse card histórico foi uma experiência que nunca vou esquecer. Fico revendo o vídeo da minha entrada e fico arrepiada toda vez”, frisa a prudentina, atleta da Inside Hugo Gonçalves - Centro de Treinamento de Lutas, que foi acompanhada por seus treinadores Hugo Gonçalves, Munil Adriano e Márcio Mendes (jiu-jitsu).
Sobre a diferença entre a adrenalina da vitória no UFC e em outras vitórias já conquistadas, Sorriso explica que acredita que toda luta traz consigo uma história e isso faz cada vitória ser única. Mas sem dúvida alguma, a vitória de sábado foi diferente de todas as outras. “Não só por ser a primeira dentro da maior organização do mundo, mas por tudo o que passei recentemente. Lesões em sequência, cirurgias, coluna travada no dia da luta... não foi só subir no cage e sair na mão. Minha equipe e eu enfrentamos algumas guerras antes da guerra dentro do octógono em si. Foi superação total”, pontua Sorriso.

Noite de muitos acontecimentos

Sorriso comenta que foi surpreendida por Na Liang e que sinceramente, não esperava que ela fosse tão aguerrida! “Sabia que ela viria para cima, mas não imaginava que ela suportaria tantos golpes. Ela é muito resistente e isso me surpreendeu. Mas, por outro lado, foi ótimo, porque valorizou a minha vitória e conseguimos levar um show para o público", pontuou a lutadora.
Lamentavelmente Chris Weidman fraturou a perna no embate diante de Uriah Hall, igualzinho aconteceu com o Anderson Silva quando o enfrentou. O mundo que acompanha o MMA pensou a mesma coisa naquele momento. “Acho que dói na gente... estava assistindo a luta e no momento fiquei sem reação. Imediatamente nos colocamos no lugar do atleta e bate aquela angústia. Tive lesões recentemente, sei o quanto é ruim. Todo atleta de MMA sabe o quão desanimador é estar lesionado, o quão difícil é o período de recuperação, ainda mais quando é grave igual foi a do Weidman. Como disse, dói na gente ver um companheiro de profissão naquela situação. O próprio Hall ficou sem reação, porque imediatamente nos colocamos no lugar, pensamos no atleta, na família dele... é difícil”, lamenta Sorriso.

Dividindo alegrias

Sorriso conta que teve a oportunidade de conversar com a Jéssica Bate-Estaca, com o Cowboy e sua equipe e disse que são pessoas incríveis, de excelente energia. Reencontrou o Kazula, que conheceu na preparação para o UFC México, quando treinaram no Instituto de Performance, “outro cara muito gente boa! Também tive a oportunidade de falar rapidamente com a Weili Zang. Foi uma experiência bacana! Retornamos para o Brasil na quinta-feira. Estamos aproveitando esse período para curtir um pouquinho dos States [risos]. Nas próximas semanas é treino e mais treino! Tirei essa semana para descansar, viemos para Orlando, curtir um pouco, relaxar depois de um camp intenso. Mas eu não consigo ficar muito tempo sem treinar. Na minha última luta, meu mestre Hugo me deu uma semana de folga e no quarto dia de folga eu já estava na academia querendo voltar aos treinos [risos]. Descansar é bom, mas amo o que faço!”, exclama.

É sobre o talento

Como destacou o comentarista e também lutador Rodrigo Minotauro ao seu companheiro Bernardo Edler no intervalo da transmissão do card preliminar, sobre a vitória de Sorriso, “não dá pra descrever porque é um sentimento... ela que veio de derrota de sua primeira luta é uma craque, um talento brasileiro! Ela não é tão alta para a categoria [pode ver que a chinesa era maior], mas ela melhorou muito fisicamente, tem um vigor físico, uma trocação muito boa, faixa preta de jiu-jitsu, oriunda do muai thay também. Estava super treinada para esta luta e conseguiu dar uma grande virada quando a chinesa estava apertando. Poucos atletas fazem isso. Uma grande luta da Ariane”, disse Minotauro no Canal Combate.

Um card inesquecível

Com três cinturões em jogo em uma única noite, como já mencionado, o card 261 foi simplesmente sensacional para quem não perde um combate. Foram lutas cheias de surpresas e muitas emoções.
Como no card principal, o chute potente de Anthony Smith que eliminou as chances de Jimmy Crute de seguir no combate, ainda no fim do primeiro round. Com bravura o guerreiro ainda foi pra cima derrubando Smith, mas na volta para o segundo round visivelmente não sentindo a perna e não conseguindo ficar de pé o juiz encerrou o duelo para desespero do lutador. 
Assim como Anderson Silva quando lutou com ele, Chris Weidman fraturou a perna com o mesmo golpe no primeiro chute contra Uria Hall, que se mostrou desolado no octógono por vários minutos. Foi uma cena forte e que mexe com o expectador!
Valentina Shevchenko manteve o favoritismo, segue com o cinturão, e infelizmente a brasileira Jéssica Andrade, a Bate-Estaca, não teve chances sendo nocauteada. Mais uma vez, a impressão que dá é que a afobação tomou conta da brasileira.
Um dos momentos mais marcantes da noite foi o nocaute de Rose Namajunas surpreendendo a chinesa Weili Zhang, fazendo-a recuperar o título peso-palha! A americana foi às lágrimas e fez até o repórter chorar!
Na luta principal do card, Kamaru Usman cumpriu o que havia prometido aos fãs, foi lá e acabou com as gracinhas de Jorge Masvidal com um nocautaço no segundo round, continuando com o cinturão.

box
CARD PRINCIPAL

Kamaru Usman venceu Jorge Masvidal por nocaute com 1m02s do R2
Rose Namajunas venceu Weili Zhang por nocaute com 1m18s do R1
Valentina Shevchenko venceu Jéssica Bate-Estaca por nocaute técnico aos 3m19s do R2
Uriah Hall venceu Chris Weidman por nocaute técnico aos 17s do R1
Anthony Smith venceu Jimmy Crute por nocaute técnico aos 5m do R1

CARD PRELIMINAR
Randy Brown venceu Alex Cowboy por finalização aos 2m50s do R1
Dwight Grant venceu Stefan Sekulic por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)
Brendan Allen venceu Karl Roberson por finalização aos 4m55s do R1
Pat Sabatini venceu Tristan Connelly por decisão unânime (30-27, 29-28 e 29-28)
DanaaBatgerel venceu Kevin Natividad por nocaute técnico aos 50s do R1
Rodrigo Vargas venceu Rongzhu por decisão unânime (30-26, 29-28 e 29-28)
Jeff Molina venceu Aori Qileng por decisão unânime (29-28, 29-28 e 29-27)
Ariane Sorriso venceu Na Liang por nocaute técnico com 1m28 do R2
*Fonte: UFC

 

Veja também