Sorteio de casas termina em confusão em Caiabu

Munícipes alegam suposta fraude envolvendo moradores contemplados; vítima alega ter sido agredida pela esposa e filho do prefeito

REGIÃO - ROBERTO KAWASAKI

Data 27/07/2020
Horário 09:57
Reprodução/Facebook - Imagens registraram a manifestação de sexta-feira Foto: Reprodução/Facebook - Imagens registraram a manifestação de sexta-feira

Moradores de Caiabu entraram em contato com a reportagem para denunciar uma suposta fraude envolvendo sorteio de casas da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), na semana passada. Na sexta-feira, a revolta gerou confusão em frente à casa do prefeito Dario Marques Pinheiro (PSDB).

Diversos vídeos publicados em redes sociais mostram a manifestação organizada pelos munícipes – o “panelaço”. De acordo com os denunciantes, algumas pessoas contempladas com os imóveis não se encaixam no perfil do beneficiário, conforme orienta o edital da Companhia.

Carlos Eloi de Assis, 33 anos, é morador de Caiabu, e diz que a indignação não é recente, uma vez que já ouviu falar de pessoas contempladas que teriam vendido os imóveis. Além da indignação pela suposta falta de transparência, conta que foi agredido durante o manifesto, o que aumentou ainda mais a revolta.

“Fomos à Prefeitura pedir explicações e fizemos o panelaço”, afirma. “Já tínhamos conversado com a Polícia Militar de que seria de forma pacífica. Mas, durante a manifestação, a esposa do prefeito passou no meio da gente, chamando todos de pobre, esnobando, até que me deu um tapa na cara”, conta.

“O filho do prefeito ainda me deu uma ‘voadora’ e um soco na cara”, lembra Carlos, que diz ter os registros em vídeos.

Conforme a Polícia Civil, após a confusão duas pessoas procuraram a delegacia e registraram boletins de ocorrência por crime contra a honra. Os detalhes não foram repassados, uma vez que as vítimas vedaram a divulgação.

Contemplados terão que comprovar dados

Em nota, a CDHU afirma que o sorteio foi acompanhado de uma empresa de auditoria externa, garantindo "a lisura e transparência do processo". A transmissão dos nomes contou também com o chefe de gabinete da Prefeitura de Caiabu, Enéas Ferreira.

"No edital de inscrição e durante o sorteio foi informado que as famílias sorteadas passarão pelo processo de habilitação, quando terão que comprovar os pré-requisitos exigidos para participar do programa habitacional, entre eles morar ou trabalhar em Caiabu há pelo menos cinco anos, ter renda familiar entre um e dez salários mínimos, não ser proprietário de imóvel, não possuir financiamento habitacional e não ter sido atendido anteriormente por programas habitacionais", esclarece a Companhia.

Segundo a CDHU, caso o contemplando não esteja dentro do estabelecido, será desclassificado e um suplente, conforme a ordem de classificação, será convocado no seu lugar.

Os nomes dos titulares sorteados foram lidos no final da transmissão e listagem geral com a classificação está publicada no site da CDHU (www.cdhu.sp.gov.br).

As pessoas que tiverem dúvidas ou quiserem fazer denúncias podem entrar em contato pelo Alô CDHU (0800 000 2348).

  

Posicionamento da Prefeitura

A respeito do protesto, a Prefeitura disse que na sexta-feira o grupo esteve em frente ao prédio municipal, onde foram ditas palavras de baixo calão contra o prefeito e funcionários. Conforme o Executivo, as reivindicações foram ouvidas, e ficou acertada uma reunião on-line para sanar os questionamentos com a CDHU.

“Não contente com a marcação da live, aquele grupo saiu da frente da Prefeitura e foi bater panela em frente a casa do prefeito, cujo objetivo foi provocar a primeira dama do município [que é pessoa com mais de 60 e também possui cardiopatia grave], com palavras de baixo calão e falsas acusações” explica a Prefeitura.

“Ante aquela situação de provocação praticada pelo grupo, as consequências foram aquelas veiculadas através dos vídeos nas redes sociais”, esclarece o Executivo, que procurou a Polícia Civil.

De acordo com a Prefeitura, na manhã de hoje a live agendada foi realizada, na presença de dois manifestantes, o prefeito e vice-prefeito, funcionários envolvidos nas acusações e o departamento Jurídico do município.

No encontro virtual, a Companhia repassou o que foi mencionado na nota encaminhada à reportagem, de que as informações prestadas na inscrição serão checadas.

“O fato da pessoa estar inscrita e ser sorteada, não significa que terá automaticamente direito em receber o imóvel”, afirma.

Veja também