Traças

Sandro Villar

O Espadachim, um cronista a favor do churrasco e do churro

CRÔNICA - Sandro Villar

Data 14/10/2020
Horário 05:35

Boa pinta, cara de galã de novela, o Maciel fazia o maior sucesso com a mulherada do bairro onde morava. Elas davam a maior bola pro rapaz, que trabalhava como dedetizador, aquele profissional que, como vocês estão calvos e não carecas de saber, combate insetos, ratos e pragas em geral.
Maciel sempre estava bem acompanhado por mulheres que fechavam o comércio e até a indústria, coisa que o Guedes Posto Ipiranga também faz com a maior competência. Enfim, era cada "avião" que vou te contar. 
Segundo um fofoqueiro, o rapaz era, disparado, o maior cliente do único motel do bairro. Noite sim e noite também sim o Maciel ficava em bons lençóis com uma mulher, sempre escolhida a dedo pelo sedutor. Vida boa: mulher e bebida e dane-se o mundo.
Um dia a coisa ficou mais feia do que a economia do Brasil pro lado do conquistador, mas, com sua lábia e perspicácia, ele tirou de letra, sem confirmar a letra que usou durante a tremenda saia-justa.
É que o Maciel conheceu uma mulher quarentona e fogosa, e se encantou pela madame com ares de aristocrata. Só que tinha um problema: a bela da tarde era casada. Ele nem aí com isso. 
Os dois "deitaram e rolaram" na casa dela. Antes não tivessem feito nada disso. Tremenda imprudência, coisa de amantes ingênuos. No momento em que se preparavam para "engatar a segunda", o marido chegou.
E agora, dona Aurora? O que fazer? A mulher retirou toda a roupa do guarda-roupa e o Maciel se escondeu lá dentro. Depois de chamar a esposa às falas, o marido, desconfiado, abriu a porta do guarda-roupa.
Esperto e malandro pra cachorro, o amante foi logo se explicando com a maior cara de pau: "Boa tarde, meu senhor! Eu sou dedetizador e sua mulher me chamou para acabar com as traças que comeram todas as roupas aqui dentro".
Aí o marido passou a mão na cabeça, não sei se para conferir o nascimento de chifres, e comentou: "Mas o senhor está pelado". Ao que Maciel, sem arregalar os olhos, emendou: "Pois é, enquanto eu trabalhava no guarda-roupa as traças também devoraram a minha roupa". E acrescentou: "Nem a cueca escapou".

DROPS

Empresário de ontem no Brasil: Antônio Ermírio de Moraes. Empresário de hoje: Véio da Havan. Não ria. Chore!

Marco Aurélio soltou André do Rap porque queria ouvir bons raps.

Se Trump fosse macho teria tomado cloroquina e não medicamento feito com células de fetos abortados. Ué, mas esse sujeito não é contra o aborto?

Eleja Joe Biden, América!
(manchete do The New York Times)
 

Veja também