Túnel do tempo:

DignaIdade

COLUNA - DignaIdade

Data 11/08/2020
Horário 15:01

“Corpo a Corpo” foi uma das melhores e menos lembradas novelas do autor Gilberto Braga, dirigida por Dênis Carvalho entre 1984-1985. A trama principal girava entre o casal Eloá (Débora Duarte) e Osmar (Antônio Fagundes), funcionários da empresa Fraga Dantas, de personalidades opostas. Ele era acomodado e sem ambições, ela era determinada e arrivista e fazia de tudo para subir na empresa, até mesmo um pacto com um homem misterioso, Raul (Flávio Galvão), que era a personificação do diabo.

Na verdade, o plano era uma vingança de Tereza (Glória Menezes) contra Eloá que havia roubado o seu grande amor Osmar. No entanto, no meio da novela, mesmo com a revelação, a trama passava para uma segunda fase, onde a própria Tereza se via envolvida e ameaçada pelo demônio que ela mesma tinha criado. A trama contava também a história do arrogante empresário Alfredo Fraga Dantas (Hugo Carvana), que não se conformava com as escolhas que os filhos faziam, principalmente Cláudio (Marcos Paulo) que se apaixonava por Sônia (Zezé Motta) despertando seus preconceitos. Grande novela, cheia de reviravoltas e grandes interpretações, que tinha também no elenco Lauro Corona, Malu Mader, Joana Fomm, Stênio Garcia, Eloísa Mafalda e a estreia de Andréa Beltrão, Luiza Tomé, Lília Cabral e Selton Mello. 

“As propriedades do zinco no organismo”

As vitaminas e sais minerais são elementos reguladores imprescindíveis para a saúde humana. Dentre os minerais necessários ao organismo, o zinco é um dos mais destacados, entrando em um conjunto de reações químicas necessárias para a manutenção da saúde. Dentre as diversas ações do zinco, uma que se destaca é o papel no sistema imunológico: sendo importante tanto na produção de células imunológicas como nas reações de defesa contra os microrganismos (vírus, bactérias e fungos). A deficiência de zinco propicia uma menor eficácia contra infecções e o agravamento das mesmas em internações hospitalares, particularmente em idosos. As necessidades diárias de zinco são definidas pela OMS (Organização Mundial de Saúde) para sete miligramas ao dia para mulheres e nove para homens.

Em pessoas idosas, há aumento para oito e onze miligramas entre mulheres e homens já a partir dos 50 anos. O zinco também é um importante antioxidante combatendo os radicais livres que se formam no organismo e são causadores de reações degenerativas e patológicas como o próprio câncer. Além disto, o zinco entra em mais de 100 reações químicas diferentes e, portanto, sua deficiência implica em um conjunto de manifestações: problemas na pele (psoríase), dificuldade de cicatrização de feridas, interferências na memória, maior tendência depressiva, dificuldade de sentir o gosto dos alimentos e problemas hepáticos. O zinco está presente em grande parte dos alimentos, sendo os mais ricos: ostras, nozes, castanhas e carne bovina. Contudo também é encontrado em grandes concentrações na semente de abóbora, alimentos integrais, farelo de aveia e frango. As reposições medicamentosas de zinco devem sempre ser realizadas com consulta médica. 


Dica da Semana

Televisão

“Hebe” – a série:
Seriado em dez episódios na Rede Globo às 22h das quintas-feiras, como uma extensão do filme “Hebe, a Estrela do Brasil”, filmado entre 2018-19 e que abrange a vida da apresentadora Hebe Camargo desde a adolescência pobreda década de 40 até sua morte em 2012. Andréa Beltrão em um desempenho vigoroso acompanhada de atores experientes que engrandecem o elenco: Marco Ricca, Cláudia Missura, Walderez de Barros e Flávio Migliaccio.


 

Veja também