TURISMO SERÁ "ULTRALOCAL"

Contexto Paulista

COLUNA - Contexto Paulista

Data 20/06/2020
Horário 10:08

As pessoas não vão parar de viajar, mas cidades perto dos grandes centros ou de onde a pessoa vive serão a bola da vez. "Elas vão procurar fazer viagens de carros e já vemos isso nos EUA", afirma Leonardo Tristão, ex-Google e ex-Facebook, agora à frente do Airbnb, um dos líderes do setor de turismo no mundo. Em entrevista a Bruno Romani, do jornal “O Estado de S. Paulo”, repercutida em sites de negócios de todo o país, Tristão diz que se olharmos o comportamento do consumidor é possível identificar a tendência do que ele chama de turismo doméstico ultralocal, que está desenhado segundo ele para o verão de 2021. "Isso leva ao que chamo de descentralização do turismo. Haverá menos turismo de massa e mais em cidades fora do eixo de turismo", diz ele.

Retomada à vista
Para entrar nessa onda de interiorização do turismo, a Secretaria de Turismo do Estado e o Airbnb fecharam esta semana acordo para alavancar a retomada do setor. São Paulo é o primeiro Estado parceiro da empresa na América Latina em uma iniciativa global que inclui os Estados Unidos, França, Dinamarca, África do Sul e Coreia do Sul. O acordo prevê colaboração em áreas como inteligência de mercado para o compartilhamento de informações relacionadas ao turismo nas diferentes regiões do Estado e ações para promover destinos por meios digitais.

Conexão com as cidades
Para o Airbnb, São Paulo é um dos principais mercados da empresa no país e, em um contexto em que viagens domésticas, especialmente as feitas de carro, serão a tendência inicial na retomada do turismo, a plataforma promete apresentar, inclusive aos paulistas, novas opções dentro do próprio Estado. "Oferecemos a possibilidade de um turismo autêntico e conectado às comunidades, que valoriza a cultura local e movimenta a economia das cidades", afirma Flávia Matos, diretora de relações institucionais e governamentais do Airbnb para a América Latina.

Perfil do Airbnb
O Airbnb é uma das maiores plataformas do mundo para estadias. Oferece mais de 7 milhões de anúncios de acomodações e 40 mil experiências desenvolvidas por anfitriões locais. A empresa registra mais de 500 milhões de chegadas de hóspedes globalmente desde a sua fundação. A plataforma é acessível em 62 idiomas em 220 países e regiões. Em 2019, o Airbnb gerou um impacto econômico direto de R$ 10,5 bilhões no Brasil considerando a cadeia que envolve o turismo, como comércio e restaurantes locais, não apenas a hospedagem.

Frase do secretário
"O Airbnb está comprometido em dotar São Paulo de produtos de hospedagem seguros e com soluções inovadoras. É importante que o produto turístico paulista esteja disponível da forma mais ampla e variada possível", diz o secretário de Turismo do Estado, Vinicius Lummertz.

São Paulo turístico
O turismo movimentou R$ 240,9 bilhões no Brasil em 2019, segundo dados da CNC (Confederação Nacional do Comércio, Bens, Serviços e Turismo). Só o Estado de São Paulo representou R$ 96,9 bilhões desse bolo, ou 40,2% de todo o faturamento das empresas do setor no país.

Campanha para divulgar o turismo
Em entrevista ao jornal “A Tribuna”, de Santos, o secretário Lummertz acenou com uma campanha de marketing para divulgar as atrações das regiões do Estado. No período pós-pandemia, segundo ele, as viagens internacionais ficarão em segundo plano e será preciso dar incentivos para que turismo interno se fortaleça. "Nossa prioridade, na largada, será não só a campanha. Para que a comercialização (de pacotes) seja feita a partir da campanha, é preciso que a pessoa que ouça a falar da Baixada Santista consiga comprar com bom preço", disse o secretário, dando como exemplo o litoral, durante videoconferência organizada pela Abih-SP (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado de São Paulo), na terça-feira.

Ciência paulista contra a Covid-19
●     Além da temperatura, da oxigenação no sangue e da frequência cardíaca, a voz pode se tornar um parâmetro para ajudar a identificar mais rapidamente pacientes com suspeita de Covid-19. Por meio da análise da fala, pesquisadores paulistas pretendem detectar a insuficiência respiratória, um dos principais  sintomas da doença. O projeto, batizado de Spira – sigla de Sistema de Detecção Precoce de Insuficiência Respiratória por meio de Análise de Áudio –, está sendo desenvolvido com apoio do Hospital das Clínicas da USP (Universidade de São Paulo) em São Paulo
●     Um novo exame molecular que permite processar, por dia, 110 mil testes que detectam a Covid-19 a preço acessível (cerca de R$ 95) foi desenvolvido pelo laboratório brasileiro Mendelics e o Hospital Sírio-Libanês. Batizado de #PARECOVID, o novo teste utiliza reagentes e equipamentos disponíveis no mercado sem depender dos utilizados anteriormente, atualmente escassos. É o teste de maior capacidade de processamento lançado no país até o momento. 

Investimento no interior
A Pozelli Alimentos, empresa com mais de 20 anos de tradição na produção de pão de queijo, chipa e cookies, investiu R$ 6 milhões na expansão da sua fábrica em Hortolândia, na região de Campinas. Com isso, a unidade teve sua capacidade de produção aumentada de 120 ton./mês para 500 ton./mês, gerando 40 novos postos de trabalho.

Veja também