Um artista não deixa de ser  um artista por ficar um  tempo distante de sua arte

VARIEDADES - OSLAINE SILVA

Data 30/03/2021
Horário 05:30
Foto: Gilson Lorenti

Nesta entrevista a jovem atriz Gabriela Costa Cano, 26 anos, responsável pela parte teatral da FAAPP (Festa Anual da Arte e Artistas de Presidente Prudente) fala sobre a importância da festa para os artistas da cidade e região mostrarem seus trabalhos. Sobre a importância da internet nesta atual realidade que o mundo atravessa e o quanto o cuidar-se deve ser precioso. A programação da FAAPP pelo edital LAB (Lei Aldir Blanc) municipal, pela Prefeitura de Presidente Prudente, por meio da Secult (Secretaria Municipal de Cultura) será transmitida neste dia 1º de abril a partir das 15h, pelo canal do Youtube da pasta. Além da arte dos palcos, Gabriela é empresária, proprietária na Flart’s Bolsas e Artesanatos, artesã e produtora cultural.

O que é estar à frente do teatro da FAAPP (Festa Anual da Arte e Artistas de Presidente Prudente), Gabriela?
É não só contribuir na produção do evento, mas ter a oportunidade e honra de estar em contato com artistas prudentinos, que batalham para manter a sua arte viva nesta fase de pandemia. 

Qual a importância da realização desta festa mesmo em formato digital?
A FAAPP é um evento que carrega uma história, por isso acabou tornando-se em uma linda tradição nesta cidade. Uma “festa” dessas, onde os artistas se encontram, tem a oportunidade de mostrar o seu trabalho e “trocar figurinhas”, não pode parar. O formato não é o que importa. Nesses últimos meses tudo está acontecendo de uma forma diferente, então a FAAPP apenas se modulou para continuar acontecendo. 

O que o teatro trará para esta edição da FAAPP?
A festa neste ano trará o teatro em suas diversas modalidades, desde leituras dramáticas e cenas curtas até espetáculos adulto e infantil.  

Como tem sido se reinventar no teatro em tempos de isolamento social, se a magia desta arte é exatamente o público fisicamente diante do palco?
No meu ponto de vista, o teatro sempre será um encontro presencial entre artista e público. O que está acontecendo é apenas um improviso, ou mesmo outra modalidade das artes cênicas. Mas, falando como atriz, a energia do teatro ao vivo, cara a cara com o público, não tem igual. E sabemos que essa fase vai passar e poderemos voltar a fazer teatro de verdade. 

De que forma vocês, atores independentes, companhias estão buscando na tecnologia novas formas de trabalho?
Se antes a internet estava presente no cotidiano das pessoas, hoje ela é, sem dúvidas, essencial. Muda-se apenas a forma de trabalhar, mas a arte nunca para. Atualmente, os artistas estão investindo em lives e no áudio visual. Apostando nas redes sociais e Youtube, onde não só divulgam o seu trabalho, mas o conteúdo de sua arte é disponibilizado para a apreciação e consumo final do público.

O artista tem a sensibilidade naturalmente aflorada na pele. Como tem sido para você este período de pandemia, Gabriela? Perdeu alguém muito próximo de você para esta terrível doença?
Isolar-se é visto por mim como uma oportunidade. Um artista não deixa de ser um artista por ficar um tempo distante de sua arte. Como um ser humano sensitivo, essa fase pode acrescentar em seu crescimento criativo, uma vez que o intima para a reflexão sobre a vida. E o que é a arte se não a representação da vida no ponto de vista de um ser humano com a sensibilidade aflorada? Não perdi alguém próximo com essa doença, mas já tive uma grande perda por questões de saúde e sei como é essa dor.

Deixe uma mensagem para as pessoas para que se cuidem neste momento.
Cuidar-se não deveria ser tão precioso apenas neste momento. Estamos em uma fase turbulenta, mas problemas relacionados à saúde sempre existiram. Hoje você pode ter uma “sorte” de não contrair o novo coronavírus, mas amanha você pode contrair ou desenvolver qualquer outro tipo de doença. Então cuidar-se deve ser precioso por uma vida inteira e não por um momento. Ame-se mais e dê mais tempo para a sua existência vivo!

Foto: Divulgação - Atriz, produtora cultural, artesã e empresária Gabriela Costa Cano, 26 anos, é quem responde pelo teatro da Festa Anual da Arte

Veja também